Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 21out

    Colaboração do meu cardiologista Pedro Vicente Michelotto

    UOL SAÚDE

    Uma meta-análise extensa descobriu que um programa de exercícios organizado pode ser tão bom ou melhor do que os medicamentos geralmente prescritos para algumas doenças cardiovasculares comuns.

    Na prevenção contra o derrame, o programa de exercícios foi mais eficaz que medicamentos

    Na prevenção contra o derrame, o programa de exercícios foi mais eficaz que medicamentos

    Os pesquisadores avaliaram 57 experimentos randomizados que pesquisavam os efeitos dos exercícios e dos medicamentos sobre a mortalidade em quatro tratamentos preventivos: prevenção secundária de doença arterial coronária, reabilitação de derrame cerebral, tratamento contra insuficiência cardíaca e prevenção do diabetes tipo 2.

    A análise foi publicada online no periódico BMJ e envolveu mais de 14 mil pacientes.

    Os estudos utilizaram uma variedade de medicamentos, como por exemplo: estatinas, para a prevenção da doença arterial coronária; anticoagulantes, contra derrame cerebral; diuréticos, contra insuficiência cardíaca; e biguanidas, como Glucophage e Metaglip, contra a chegada do diabetes.

    Eles não encontraram diferenças em relação à mortalidade entre as intervenções com exercícios e medicamentosas para prevenção secundária da doença arterial coronária e do diabetes tipo 2.

    Na prevenção contra o derrame, o programa de exercícios foi mais eficaz que medicamentos anticoagulantes ou anti-plaquetários.

    Contudo, no tratamento da insuficiência cardíaca, os diuréticos foram mais eficazes que os exercícios.

    Huseyin Naci, principal autor do estudo e estudante da Faculdade de Medicina de Harvard, afirmou que na maioria das pesquisas, os pacientes realizaram programas de exercícios organizados, combinados à ingestão de medicamentos.

    “As descobertas não indicam que os pacientes devem parar de tomar suas medicações e substituí-las pela pratica de exercícios”, afirmou.

    “Não conseguimos descobrir muitas pesquisas envolvendo exercícios, o que aumenta a limitação das descobertas. Entretanto, o que não sabemos sobre os exercícios pode estar nos prejudicando”, considera.

    Publicado por jagostinho @ 18:51



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.