Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 19ago

    FOLHA ILUSTRADA/LÚCIO RIBEIRO

    Quando o americano Gordon Raphael me interpelou no Facebook perguntando se eu tinha ouvido o disco novo da Audac, banda de Curitiba, achei que tinha algo estranho nessa abordagem.

    Raphael é o produtor do primeiro EP da banda nova-iorquina Strokes, lá no começo do ano 2000, e assinou também a produção do extrafamoso primeiro álbum do grupo, “Is This It”.

    Ele carrega consigo a responsabilidade conjunta de ter mudado de alguma forma a cena roqueira e a música indie que é ouvida até hoje.

    A pergunta sobre a Audac não tinha que ser de mim para ele?

    A real é que Raphael esteve no Brasil em julho, para participar de um workshop no estúdio Ouié Tohosound, em Florianópolis, a convite de uma rapaziada que recebe bandas novas brasileiras e argentinas para gravações e intercâmbios sonoros.

    O produtor veio escolher uma banda brasileira para trabalhar. Entre cinco, escolheu a Audac.

    Grupo do novo rock de Curitiba, a Audac é formada por duas garotas, Alyssa Aquino (vocal e sintetizadores) e Debora Salomão (baixo e vocal), mais o guitarrista Alessandro Oliveira, ex-Copacabana Club, e Pablo Busetti, baterista.

      Alexandre Cardinal/Divulgação  
    A banda curitibana Audac
    A banda curitibana Audac

     

    À custa de um bom EP lançado em 2012, “Bunker”, e no calor de uma certa ebulição da música nova curitibana, a Audac conseguiu um crédito indie na blogosfera e ainda fazer alguns shows fora do Paraná, com um som que é o mais perto que uma banda de rock pode chegar de uma viagem trip-hop.

    Quando Raphael botou seus ouvidos na Audac, achou uma talentosa banda de um som mais atmosférico, voltado à eletrônica.

    Mas calhou de vê-los tocarem em um bar de Florianópolis e achou que, ao vivo, a banda tinha uma importante guitarra e uma levada mais rock. Mudou os planos que tinha para ela, no estúdio.

    O resultado desse encontro da Audac de Curitiba com o primeiro produtor que botou as mãos nos primeiros trabalhos dos Strokes acaba de ser lançado na internet, para venda no iTunes e audição no Soundcloud e no site www.audacmusic.com.

    O disco de estreia do grupo brasileiro, homônimo, tem sete músicas, uma delas é uma faixa de 37 segundos de introdução. Está previsto lançamento apenas em vinil.

    Segundo o homem que moldou as primeiras músicas dos Strokes, canções como “Brian May Coin” e “Dark Side,” do Audac, poderiam muito bem tocar nas rádios dos EUA e Europa.

    Publicado por jagostinho @ 16:08



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.