Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 17ago

    repassando6

    FOLHA.COM

    Hélio Schwartsman 

    É preciso muito otimismo ou então estar em campanha eleitoral para deixar de qualificar a primeira fase do Mais Médicos como um fracasso.

    Segundo o próprio Ministério da Saúde, foram habilitados para atuar no programa 1.618 profissionais, o que corresponde a apenas 10,5% da demanda apresentada pelos municípios. O que fazer para resolver o problema?

    Comecemos pelo que não fazer e saudemos a sabedoria do governo por ter recuado da esdrúxula ideia de ressuscitar uma corveia feudal, pela qual todos os formandos em medicina estariam obrigados a trabalhar por dois anos para o SUS.

    Numa sociedade livre, as pessoas têm o direito de escolher onde vão morar e de aceitar ou rejeitar contratos de trabalho.

    Restam, assim, as chamadas soluções de mercado. Elas são, em princípio, duas.

    Ou elevamos os salários até que o profissional se disponha a atuar nas áreas prioritárias, ou produzimos médicos em quantidades tais que eles aceitem ir pelo valor que as autoridades oferecerem.

    Nenhuma das duas é boa.

    A primeira tem seu limite nos caixas das prefeituras e na Lei de Responsabilidade Fiscal.

    A segunda, além de demandar tempo, tende a achatar o salário de médicos, desorganizando ainda mais o sistema.

    O caminho, creio, é atuar no nível da regulação e repensar os modelos.

    Se não querem trazer os cubanos, muito bem, podemos autorizar enfermeiros que atuem em regiões onde não há médicos a prescrever e realizar certos procedimentos.

    Uma tese defendida pela revista “The Economist”, com a qual concordo, é a de que, no futuro, devido ao envelhecimento da população e ao aumento da prevalência das doenças crônicas, vai ser economicamente inviável formar tantos médicos quantos seriam necessários pelos padrões do século 20.

    Isso exigirá ampliar as responsabilidades de outros profissionais da saúde, reservando o médico para casos de maior complexidade.

    Publicado por jagostinho @ 11:44



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

6 Respostas

WP_Cloudy
  • Lineu Disse:

    O jabá deve ser bom para se submeter a isso né?

    Nem de esquerda nem de direita. Vai para o lado que pagar mais.

    Sinto vergonha alheia de gente tipo você.

  • Helena Disse:

    Este Lineu está maluco ou é um canalha mesmo? Que coisa sem sentido ! É um artigo muito bem elaborado sobre um assunto do momento ! Sou médica e concordo com o articulista. Eu sim sinto de vergonha de cafajestes como este Lineu.

  • Betão Disse:

    Tem gente que se esconde pois é covarde e vagabundo. Acusa o Jota e não sei pq o Jota aprovou o comentário. Mais vou rastrear esse babaca. Ele pensa que pode ir acusando os outros e ficar escondidinho. Se cuida fdp

  • Nascimento Disse:

    Conheço o Jota e sei de sua integridade. Este imbecil , tal de Lineu, é um bobão que está a mando de alguém ,pois o Jota incomoda mesmo.Dá-lhe Jotinha !

  • Profª Beatriz Disse:

    Que nível ordinário desse Lineu. Devia estar chapado. Muito bom o artigo do jornalista Hélio da Folha.

  • Gregório Disse:

    Já acionei amigos meus que estão na cola desse covarde e caluniador, lineu. O cara é tão idiota que pensa que pode ir ofendendo as pessoas e não será descoberto. Até o site da Nasa já foi invadido e ele acha que não pegaremos ele. Somos “os amigos do Jota”.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.