Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 27maio

    Thais Kaniak e Samuel Nunes – G1 PR

    Semáforo para ciclistas fica na esquina entre a Av Pres Affonso Camargo e Rua Mariano Torres (Foto: Thais Kaniak / G1)

    Semáforo para ciclistas fica na esquina entre a Av
    Pres Affonso Camargo e Rua Mariano Torres
    (Foto: Thais Kaniak / G1)

    Um semáforo chama a atenção de quem passa pelo cruzamento das avenidas Mariano Torres e Affonso Camargo, no Centro de Curitiba.

    O motivo é que em vez de dar passagem aos motoristas, o equipamento libera a passagem de ciclistas. Ele funciona sincronizado com o semáforo para pedestres.

    Segundo o secretário de Trânsito de Curitiba, Joel Krueger esse é um experimento que a prefeitura decidiu fazer para melhorar o tráfego urbano na cidade.

    O equipamento foi instalado no fim do mês de abril e, até agora, o resultado tem sido positivo.

    Krueger explica que o equipamento foi adquirido para testar a percepção da comunidade e melhorar o trânsito em pontos onde há pessoas, bicicletas e carros.

    “Precisavamos acompanhar as condições de funcionamento, qual a percepção do ciclista e dos pedestres. Em paralelo, estamos avaliando pontos da cidade onde seria necessária”, explica o secretário.

    De acordo com ele, as avenidas Visconde de Guarapuava e Cândido de Abreu podem vir a receber os semáforos especiais.

    Para definir todos os pontos, a Secretaria de Trânsito pretende ouvir cicloativistas para ajudar na implantação do projeto.

    Ciclistas
    A médica veterinária Daniela Serighelli, de 25 anos, usa a bicicleta como meio de transporte desde 2008.

    Na época da faculdade, fazia o percurso da casa onde morava, em Santa Felicidade, até o Centro Politécnico da Universidade Federal do Paraná (UFPR), no Jardim das Américas, em aproximadamente uma hora e quinze minutos. “De ‘busão’ demorava uma hora e meia. Valia a pena. Mas, claro que, chegando lá, tomava banho”.

    “Como tudo na vida, tem dois lados. Quanto mais aparecer a bicicletinha, em qualquer lugar, mais a coisa vai ser incorporada”, acredita. Para Daniela, o ideal seria a implementação de uma ciclofaixa com o sinaleiro para ciclistas.

    “É importante até para lembrar o ciclista de que ele não é a peça mais frágil da cadeia”, diz a veterinária sobre o semáforo para ciclistas. Atualmente, ela respeita a sinalização dos sinaleiros para veículos e garante não furar o sinal vermelho.

    Na visão de Daniela, hoje os motoristas de carro respeitam mais os ciclistas nas ruas da cidade. “De uma forma geral, vejo mais acolhimento por parte dos carros”. Ela ainda completa que “quanto mais regulamentado o ciclista estiver, mais respeito ele tem”.

    Para o coordenador do Projeto Ciclovida, um programa de extensão da Universidade Federal do Paraná (UFPR), e coordenador técnico da Associação dos Ciclistas do Alto Iguaçu, José Carlos Belotto, a iniciativa é boa pelo simbolismo que representa e pela questão prática.

    “Tem um simbolismo de que existe a preocupação com o ciclista, que ele passa a ser reconhecido como um dos atores do trânsito. Na questão prática, ajuda na segurança dos ciclistas. Eles passam a ter um tempo específico para fazer a travessia e, também, favorece o pedestre que aproveita o mesmo sinaleiro”, analisa.

    Belotto pondera ainda o aspecto educacional do semáforo para ciclistas, pois,conforme o coordenador, com o equipamento, o motorista começa a perceber o ciclista. “Deve ser respeitado como um veículo”.

    Como ciclista e motorista, Belotto percebe que o ciclista está sendo mais respeitado. “Tenho dois adesivos incentivando o respeito a ciclistas no meu carro e vejo vários carros os mesmos adesivos”, conta.

    De acordo com o coordenador, o aumento do número de ciclistas e o maior espaço da “causa da bicicleta” na mídia são fatores que ajudam na propagação do respeito às bicicletas no trânsito.

    “As pessoas estão tomando conhecimento e refletindo sobre o assunto. O ciclista está passando a ser um pouco mais respeitado. Já vemos o reflexo de uma alteração de comportamento. Está melhorando, mas ainda é um trabalho longo”, finaliza.

    Secretário de Trânsito disse que equipamento foi adquirido para testar a percepção da comunidade e melhorar o trânsito em pontos onde há pessoas, bicicletas e carros (Foto: Thais Kaniak / G1)
    Secretário de Trânsito disse que equipamento foi adquirido para testar a percepção da comunidade e melhorar o trânsito em pontos onde há pessoas, bicicletas e carros (Foto: Thais Kaniak / G1)

     



    Publicado por jagostinho @ 10:34



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.