Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 28fev

    FOLHA.COM

    O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, na noite desta quarta-feira (27), que os movimentos sociais reivindicam pouca coisa aos governos além de respeito e reconhecimento.

    Ele afirmou que há dificuldade de atender a pauta desses grupos nos orçamentos dos municípios, Estados e União.

    “Às vezes o movimento social… Eles não reivindicam muito de nenhum governo. A coisa mais fácil do mundo é cuidar dos pobres. Os pobres pedem pouco, porque um dos valores que eles pedem para nós, governantes, é respeito, reconhecimento”, disse Lula, durante entrega de prêmio do Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (Morhan).

    Jorge Araújo/Folhapress
    O ex-presidente Lula em evento mais cedo em São Paulo
    O ex-presidente Lula em evento mais cedo em São Paulo

     

    Para o ex-presidente, “a chave” está na inclusão dos problemas no orçamento dos municípios, dos Estados e da União”.

    “O problema é que vocês não estão lá. As Forças Armadas estão lá, a Polícia Militar, os empresários estão lá, as categorias organizadas estão lá, a cultura está lá. Está todo mundo lá. Quem não está lá? Os desgraçados desse país. Eles não estão, não participam, não deliberam suas prioridades”, disse o petista.

    Ele afirmou que o governo do PT, que completou dez anos no poder, começou a reverter o quadro. Mas reconheceu que “falta muito para fazer”.

    Lula defendeu que os movimentos sociais atendidos em suas reivindicações elaborem novas listas de pedidos.

    “Não tenham medo de reivindicar mais.”

    INTERNAÇÃO COMPULSÓRIA

    Antes da fala de Lula, o vice-presidente do Morhan, Cristiano Torres, comparou o tratamento dados à pessoas com hanseníase no passado –quando eram presas em colônias de pessoas com a doença– à internação compulsória praticada atualmente no Rio, com apoio do Ministério da Saúde.

    “Sou totalmente contra internação compulsória. Se um promotor de Justiça, ao levantarem a vida dele, perceberem que o patrimônio dele não é condizente com o que ele ganha, qual a punição que ele recebe? Aposentadoria compulsória. Compulsoriedade para mim é punição”, disse Torres.



    Publicado por jagostinho @ 16:58



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.