Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 26fev

    FOLHA.COM

    CAFE COM A PRESIDENTAA presidente Dilma Rousseff disse nesta segunda-feira (25) que os programas do governo que visam a erradicação da miséria superaram prazos e metas.

    Ao todo, 22 milhões de pessoas deixaram a linha da pobreza extrema desde 2011, segundo Dilma.

    As declarações foram feitas no programa semanal de rádio “Café com a Presidenta”.

    A presidente citou as medidas anunciadas na semana passada que ampliam o Bolsa Família.

    O governo afirma que as modificações do programa vai tirar mais 2,5 milhões da miséria, fazendo com que todas as famílias pobres cadastradas pelo governo recebam ao menos R$ 70 por pessoa ao mês.

    “Isso significa que viramos uma página, uma página decisiva de uma longa história de exclusão social e agora nós damos mais um passo para construir um Brasil sem miséria”, afirmou Dilma sobre as medidas.

    Exemplo: se a pessoa ganha R$ 50, receberá do governo ao menos mais R$ 21. A nova transferência terá um custo anual de R$ 928,4 milhões.

    O novo benefício social, que começará a ser pago em março por meio do cartão do Bolsa Família, irá transferir dinheiro extra suficiente para que a pessoa supere a linha oficial de miséria, de R$ 70.

    Dilma também citou o Brasil Carinhoso, programa que foi lançado em 2012 para retirar da pobreza extrema crianças entre zero e 15 anos.

    “O enorme sucesso do Brasil Carinhoso nos mostrou o caminho, que era possível e que nós podíamos garantir a todas as famílias brasileiras que recebem o Bolsa Família, uma renda de pelo menos R$ 70,00 por pessoa, tirando-as da chamada pobreza extrema”, explicou Dilma.

    ‘MISÉRIA INVISÍVEL’

    Segundo a presidente, o Brasil venceu a pobreza extrema visível e agora vai eliminar a invisível.

    Cerca de 700 mil famílias ainda vivem em situação de extrema pobreza, mas estão fora dos cadastros oficiais, de acordo de cálculos do governo.

    “A maioria dessas famílias nem sabe que tem direito aos nossos programas sociais. Por isso, nós é que precisamos de ir atrás de cada uma delas para incluí-las no Bolsa Família”, disse Dilma.

    Para incluir essas pessoas no cadastro, a ideia do governo é percorrer as periferias das grandes cidades, as comunidades ribeirinhas e extrativistas na Amazônia, semiárido do Nordeste e áreas rurais.

    Também vai fazer parcerias com prefeituras e governos de Estados para identifica as pessoas em situação de extrema pobreza.

    Durante o programa de rádio, a presidente também falou de educação e citou o Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego), criado em 2011 com o objetivo de aumentar o ensino técnico e qualificação profissional.



    Publicado por jagostinho @ 10:49



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.