Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 06fev

    RUY CASTRORUY CASTRO –  escritor e jornalista, já trabalhou nos jornais e nas revistas mais importantes do Rio e de São Paulo

     

    A foto estrelou todos os jornais de ontem. Em Brasília, o novo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), envolvido em processo criminal, sobe a rampa do Congresso para a abertura do ano legislativo.

    Vinte manifestantes o recebem com faixas e cartazes onde se leem “Fora Renan!”, “Abaixo o Senado!”, “Até quando o Poder Legislativo envergonhará o Brasil?”, e, na trilha sonora, gritos de “ladrão”, “safado” e “sem-vergonha”.

    Apesar disso, Calheiros segue impávido e marcial, passando em revista a tropa, sem ver nada de errado nela –nem ela nele.

    Até pelos soldados fardados de azul e tocando tambor à sua passagem, a cena poderia estar numa opereta de Ernst Lubitsch nos anos 30, com Maurice Chevalier e Jeanette MacDonald, ou numa tampa de caixa de bombons.

    Calheiros tomou posse sob uma avalanche de editoriais, artigos, cartuns e cartas de leitores, todos contra, mas suas orelhas não arderam nem por um segundo.

    Assim como passou pelos soldadinhos como se eles fossem de chumbo e pelos manifestantes como se não existissem, Renan ignorou também a saraivada da mídia.

    E por que não? Se seus colegas de 20 partidos, entre os quais o PSDB, não se importam de ser presididos por alguém com uma biografia tão cheia de sombras, por que se irritar com críticas que, para ele, têm tanto volume e alcance quanto as dos manifestantes com suas faixas?

    A superioridade de Renan reflete o estado de espírito da maioria dos políticos em relação a quem os elege.

    É exatamente como no cinema. O Congresso é a tela em que eles interpretam seus papéis, maiores que a vida e inalcançáveis pelos espectadores.

    A função destes é a de, se quiserem, assistir a eles, sentados em suas poltronas, e, no máximo, ruminando sua pipoca.

    E, a cada quatro anos, voltar ao guichê e comprar de novo o ingresso.



    Publicado por jagostinho @ 12:26



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

2 Respostas

WP_Cloudy
  • Teodhoro Disse:

    acho que o grande escandalo não é o Renan voltar. Mas ter o apoio do PT da Dilma é uma vergonha.

  • Solandia Disse:

    Então petezada, o Renan é o paradigma da moralidade e por isso vcs apoiaram, né? Claro que vcs adoram o Renan pq é corrupto como vcs petistas!!!

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.