Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 05fev

    ANPr

    Foto: Arnaldo Alves / ANPr.

    Foto: Arnaldo Alves / ANPr.

    O governador Beto Richa afirmou nesta segunda-feira (04/02) que diálogo é fundamental para a paz no campo e que o Paraná tem dado atenção especial para a agricultura familiar.

    Richa acompanhou a presidente Dilma Rousseff na inauguração da Agroindústria de Leite da Cooperativa de Comercialização e Reforma Agrária União Camponesa (Copran), em Arapongas, Norte do Paraná. 

    “Somos parceiros de iniciativas como essa. Nos dois últimos anos, temos apoiado decisivamente os movimentos sociais e a agricultura familiar. São dois anos de paz no campo, de diálogo permanente, sem uma única invasão ou despejo no Estado”, afirmou o governador Beto Richa. 

    Ele disse que a relação de respeito com os movimentos sociais têm propiciado parcerias em várias iniciativas. “Entendemos que esta é uma revolução pacífica, que nasce do diálogo e do trabalho, chegando a resultados concretos como o da Copran”, ressaltou o governador. 

    O evento marcou também o lançamento do Programa Terra Forte, do governo federal, que tem como objetivo apoiar e promover a agroindustrialização de assentamentos da reforma agrária em todo o país. 

    A Copran – localizada no Assentamento Dorcelina Folador, onde estão assentadas 93 famílias – foi escolhida para o lançamento do programa nacional por sua organização e referência na agroindustrialização. 

    “Estamos diante de uma das melhores práticas agrícolas de pecuária. O Brasil todo pode ver na Copran um projeto de primeira, que saiu do papel e virou realidade pelo esforço de homens e mulheres aqui do Paraná”, declarou a presidente Dilma Rousseff. 

    O laticínio vai beneficiar mais de duas mil famílias de assentados e terá capacidade para produzir até 90 mil litros de leite por dia. O empreendimento recebeu R$ 8 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e R$ 3,1 milhões do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). 

    O Governo do Estado deu suporte para o projeto com a construção de 15 casas rurais, assistência técnica para a industrialização, rede elétrica, adequação de estradas, entre outros serviços.

    “Uma iniciativa pioneira e que certamente vai motivar organizações de assentamentos a se tornarem cooperativas através da agroindustrialização”, enfatizou o governador. 

    AGRICULTURA FAMILIAR – Richa informou que o Paraná é o primeiro Estado a cumprir com a orientação federal de adquirir 30% dos alimentos para a merenda escolar, diretamente da agricultura familiar. “Queremos levar essas práticas para todo o Brasil. Me congratulo com o governador quando o Paraná cumpre com os 30% [da compra de alimentos] da agricultura familiar”, destacou Dilma. 

    Para a presidente, o exemplo do assentamento paranaense demonstra que “é possível construir um caminho para a agregação de valor, o aumento de renda e a geração de emprego”, proposta do Programa Terra Forte. 

    “Pra nós é um dia especial. Um produto de trabalho de dois anos. Antes essa Fazenda só tinha cinco funcionários, hoje, temos 93 famílias”, disse o coordenador do MST do Paraná, Roberto Baggio. 

    O presidente do Incra, Carlos Guedes, afirmou que a entidade irá apoiar iniciativas como a Copran para que os assentados “produzam cada vez mais e melhor e possam ter uma vida de qualidade”. 

    DIÁLOGO – Em constante diálogo com as lideranças de movimentos sociais, o Paraná cria uma nova política agrária. “Essa inauguração é resultado de um bom diálogo com as lideranças dos movimentos sociais. Faz parte de um projeto que iniciou com o governador Beto Richa para fazer a integração e levar desenvolvimento e capacitação aos assentados”, afirmou o assessor estadual para Assuntos Fundiários, Hamilton Seriguelli. 

    “Nós estamos surpresos com esses dois anos do governo do Paraná. O Paraná tem adotado uma política transparente e cidadã em relação a questão de terra e reforma agrária. Estamos satisfeitos porque percebemos que o governo do Paraná tem tido um relacionamento cidadão”, disse o dirigente nacional do MST, João Pedro Stredile. 

    “Hoje temos vários assentamentos que buscam seu espaço. Isso tem recebido apoio do Estado diretamente, por meio de capacitação e programas sociais. O objetivo maior é a agregação de valor, para que o produtor tenha mais renda”, afirmou o secretário da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara. 

    AGROINDUSTRIALIZAÇÃO – O Terra Forte – Programa de Agroindustrialização em Assentamentos da Reforma Agrária será reproduzido em todo o Brasil, com o objetivo de promover a agroindustrilização em assentamentos reconhecidos pelo Incra. 

    O programa contará com recursos de R$ 600 milhões, sendo R$ 150 milhões do BNDES, R$ 20 milhões da Fundação Banco do Brasil, R$ 130 milhões dos parceiros e outros R$ 300 milhões do Banco do Brasil para linhas de crédito. 

    Os beneficiários são famílias de trabalhadores rurais de assentamentos regularmente reconhecidos pelo Incra e organizadas em cooperativas ou associações. A expectativa é atender 200 cooperativas e associações com o valor médio de R$ 1,5 milhão por cooperativa nos próximos cinco anos. “É um caminho certo para dar sustentabilidade e renda às cooperativas dos trabalhadores. Queremos multiplicar essas experiências em todo o Brasil”, disse o presidente do BNDES, Luciano Coutinho. 

    COOPERATIVA – A Copran vai industrializar produtos como queijo, ricota, requeijão, leite, bebida láctea, iogurte, manteiga e doce de leite, beneficiando famílias assentadas e pequenos produtores dos municípios de Apucarana, Arapongas, Londrina e Maringá. 

    As mercadorias serão comercializadas com a marca Campo Vivo, que fará parte dos 18 grupos que compõem a Rede de Cooperativas da Reforma Agrária do MST do Paraná. “Tivemos uma crise muito grande no passado pelo preço baixo do leite. Com o processo de industrialização, atingiremos direto o mercado e aumentaremos a renda das famílias”, explicou a presidente da Copran, Dirlete Dellazeri. 

    ASSENTAMENTO – Localizado na região Norte do Paraná, no município de Arapongas, o assentamento Dorcelina Folador tem uma área total de 756 hectares e possui 93 famílias assentadas. 

    O local onde foi instalado o laticínio tem 58 hectares e destina-se exclusivamente para a cooperativa, onde há referência tecnológica para as famílias assentadas e demais cooperados da Copran. 

    Ainda na área comunitária, sete hectares foram destinados à convivência comunitária e prática de atividades esportivas. 

    Entre 2011 e 2012, a Copran forneceu ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) frutas, hortaliças, açúcar mascavo, feijão, milho, macarrão, mandioca e rapadura num valor aproximado de R$ 970 mil, e queijo no valor de R$ 1,4 milhão. 

    Os produtos foram destinados a entidades no combate à insegurança alimentar e para formação de estoques e venda no mercado. A Copran comercializa a produção de 24 assentamentos. 

    Participaram da solenidade os ministros Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência da República) e Mendes Ribeiro (Agricultura); o presidente do BNDES, Luciano Coutinho; o presidente da Fundação Banco do Brasil, Jorge Streit; o presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Rubens Rodrigues dos Santos; o prefeito de Arapongas, Padre Beffa; os senadores Sérgio Souza e Plairo Magi, o dirigente nacional do MST, João Pedro Stedile, parlamentares, prefeitos e lideranças de movimentos sociais.



    Publicado por jagostinho @ 11:35



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.