Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 22nov

    GAZETA DO POVO

    Elas são pequenas, mas têm uma picada dolorida e venenosa. Somente neste ano (até 5 de novembro), as aranhas-marrons picaram quase três mil pessoas no Paraná, segundo um levantamento da Secretária de Estado da Saúde (Sesa).

    Como tendem a abandonar seus esconderijos no calor, a chegada das altas temperaturas reforça o alerta contra o aracnídeo muito comum na região Sul do país.

    Nos últimos seis anos, foram registrados mais de 30 mil acidentes envolvendo aranhas-marrons no estado. Apesar de o número de casos vir caindo em praticamente todas as regiões, os aracnídeos ainda causam preocupação.

    Na regional Metropolitana do Paraná (que compreende Curitiba e os municípios da região metropolitana), 1.487 pessoas sofreram com picadas do bicho.

    O biólogo Marcelo Vettorello, do Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde, explica que as aranhas-marrons costumam viver escondidas em frestas de rodapés e armários, atrás de quadros ou em meio a papéis.

    Mas, com o aquecimento das temperaturas, elas tendem a deixar o esconderijo.

    O aracnídeo raramente ataca as pessoas, mas como se oculta em roupas de cama, travesseiros, calçados ou roupas, alguns acidentes podem acontecer. Geralmente, as picadas ocorrem quando as aranhas-marrons são comprimidas contra o corpo da pessoa, que não percebe a presença do bicho.

    A picada da aranha causa dor, queimação e inchaço, num período entre seis e doze horas. O veneno – dependendo da quantidade inoculada – pode causar necrose do tecido atingido, falência renal e, em um porcentual mínimo, pode até levar à morte.

    Por isso, assim que a pessoa perceber que foi picada, deve procurar o serviço de saúde mais próximo.

    Em Curitiba, as unidades básicas e de Saúde da Família estão preparadas para atender casos de acidentes envolvendo aranhas-marrons, com medicamentos grátis e acompanhamento ambulatorial.

    Os casos mais graves são encaminhados a centros municipais de urgências médicas, onde o paciente recebe soro e é acompanhado por um corpo clínico.

    Publicado por jagostinho @ 18:57



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Uma resposta

WP_Cloudy
  • Míriam 11 Disse:

    Existe uma fórmula para acabar com a aranha marron. Arranjem um casal de lagartixas. Elas se alimentam das aranhas, de traças…e se multiplicam.
    Funciona, mesmo. Coloquem no forro, ou sótão da casa.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.