Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 29set

    FOLHA.COM

    Um dia após a maioria do Supremo Tribunal Federal votar por sua condenação no processo do mensalão, o ex-deputado Roberto Jefferson (PTB) afirmou nesta sexta-feira (28) que nada tem a reclamar do que aconteceu e que recebe com serenidade a decisão dos ministros.

    “Não sou vítima de ninguém, a não ser de mim mesmo. Nada a reclamar”, diz Jefferson, em nota publicada no seu blog.

    O ex-deputado ainda utilizou uma expressão latina para explicar sua situação: “Dura lex, sed lex” (a lei é dura, mas é a lei).

    Roberto Jefferson assiste julgamento em sua casa no Rio

    Apesar disso, Jefferson afirma não ter concordado com as imputações contra ele.

    “Não vendi o meu partido ao PT nem me apropriei para fins pessoais de nem um centavo sequer do dinheiro que a mim chegou para financiar campanhas eleitorais. Muito menos sou delator, alcunha com que tentam à força me marcar.”

    Ontem, por seis votos a zero, a maioria do STF condenou o ex-deputado por corrupção passiva.

    Jefferson denunciou o esquema em entrevista à Folha em junho de 2005. Na entrevista, o então deputado federal do PTB revelou a existência de uma mesada paga aos deputados para que votassem a favor de projetos de interesse do governo.

    O ex-deputado, que se afastou da presidência da sigla na quinta-feira, é acusado de receber R$ 4,5 milhões do valerioduto para votar a favor do governo no Congresso, depois de fechar um acordo em que o PT prometeu entregar R$ 20 milhões para o PTB.

    Ele admitiu em depoimentos que recebeu os valores, mas afirma que desconhecia a origem ilícita dos recursos e nega ter votado a favor do governo em troca de dinheiro. Diz que as negociações com o PT faziam parte de um acordo para as eleições municipais de 2004.

    O relator Joaquim Barbosa, o revisor Ricardo Lewandowski, e os ministros Rosa Weber, Cármen Lúcia, Luiz Fux e Gilmar Mendes votaram por condenar Jefferson.

    Ainda faltam votar os ministros Marco Aurélio, Celso de Mello e o presidente da corte, Ayres Britto.

     

    Publicado por jagostinho @ 14:20



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.