Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 04jun

    ABRAPAR

    Ação foi proposta pela Abrabar, que orienta bares e casas noturnas a fazer depósito judicial até o fim da ação

    A 6ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) determinou em liminar a suspensão do pagamento de bares e casas noturnas ao Escritório Central de Arrecadação e Distribuição no Paraná (Ecad-PR) até que os critérios de cobrança sejam discutidos.

    A decisão atende um pedido da Associação Brasileira de Bares e Casa Noturnas (Abrabar) que questiona a forma de recolhimento dos direitos autorais de obras musicais.

    A sentença foi divulgada nesta sexta-feira (1º), mas foi proferida no último dia 8.

    A Abrabar, porém, orienta os associados a não deixarem de recolher os valores referentes a cobrança. Os estabelecimentos devem fazer depósitos judiciais enquanto a ação é discutida.

    Fábio Aguayo, presidente da Abrabar, afirma que o processo foi aberto porque não há critérios objetivos para determinar o valor que um estabelecimento deve pagar para ter música.

    “Diziam que depende do show, da quantidade de pessoas. Às vezes, variava de R$ 100 ou até mil reais”.

    O Ecad foi procurado, mas a assessoria de imprensa disse que a entidade não comentaria a decisão.

    Em nota, o Ecad informou que “desconhece o teor da ação e só se pronunciará após ser oficialmente notificado da decisão judicial”.

    Na decisão, o TJ reconhece a falta de objetividade na cobrança. “(…) os critérios utilizados pelo ECAD, para a fixação destes valores, não são transparentes ou pelo menos não estão exatamente definidos (…).

    Assim, a tutela de urgência pretendida pode ser antecipadamente concedida, até porque, num primeiro momento, dela não se extrai o perigo de sua irreversibilidade, podendo o ECAD, desde que requeira e demonstre, levantar os valores incontroversos”, afirma o juiz convocado relator do caso na 6ª Câmara Cível, Fernando Antonio Prazeres.

    Publicado por jagostinho @ 12:18



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.