Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 24abr

    FOLHA.COM

    Em relatório divulgado nesta segunda-feira (23), a SIP (Sociedade Interamericana de Imprensa) aponta para um aumento nos casos de assassinatos de jornalistas no Brasil –no período de seis meses, foram registrados 27 casos de crimes e violências contra a imprensa, incluindo assassinatos, agressões e atentados.

    A sociedade pede punição aos homicídios e afirma que a morosidade da Justiça estimula a impunidade no Brasil.

    No último dia de reunião em Cádiz, na Espanha, a sociedade destacou que, de cinco jornalistas assassinados, três crimes estavam relacionados ao exercício da profissão.

    “Governos de origem democrática, porém autoritários, utilizam os meios de comunicação estatais para perseguir e difamar a mídia independente”, diz o documento, citando em especial cinco países:

    “Venezuela, Equador, Argentina, Bolívia e Nicarágua enfrentam problemas comuns em mãos de presidentes arbitrários e intolerantes que tentam calar a imprensa crítica”.

    O Brasil foi representado na Espanha por Paulo de Tarso Nogueira, consultor do jornal “O Estado de S. Paulo” e integrante da Comissão de Liberdade de Imprensa e Informação da SIP.

    A 68ª Assembleia-Geral da SIP está marcada em São Paulo, entre os dias 12 e 16 de outubro.

    LEVANTAMENTO

    Levantamento do CPJ (Committee to Protect Journalists) divulgado no último dia 17 indica que o Brasil é o 11º país do mundo em que os assassinatos de jornalistas mais ficam impunes.

    De acordo com o “Índice da Impunidade” elaborado pelo órgão, cinco mortes de jornalistas nos últimos dez anos não resultaram em nenhuma condenação no país.

    Duas dessas mortes aconteceram no ano passado: a do dirigente petista e editor Edinaldo Filgueira do jornal “O Serrano”, que recebeu seis tiros em 15 de junho. O crime aconteceu em Serra do Mel (252 km de Natal), no Rio Grande do Norte.

    Segundo o órgão, também não foi solucionada a morte do apresentador de TV e radialista Luciano Leitão Pedrosa, de Pernambuco.

    Ele também foi alvo de tiros em abril do ano passado na cidade de Vitória de Santo Antão (47 km de Recife).

    EM TEMPO: O jornalista Décio Sá foi morto a tiros dentro de um restaurante na avenida Litorânea, em São Luís (MA), por volta das 23h30 de segunda-feira (23).

    Ele era repórter de política do jornal “O Estado do Maranhão” e mantinha um blog sobre o tema.



    Publicado por jagostinho @ 15:03



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.