Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 09mar

    AGÊNCIA BRASIL

    As regras do programa Minha Casa Minha Vida vão mudar para privilegiar as mulheres. O anúncio foi feito ontem pela presidenta Dilma Rousseff fez, em pronunciamento em cadeia nacional de rádio e TV, por ocasião do Dia Internacional da Mulher.

    “Sinto alegria de chefiar um governo que tem o maior conjunto de programas de apoio à mulher na nossa história. Mas sei que governo e sociedade precisam fazer muito mais para a valorização plena da mulher”, disse.

    Na fala, a presidenta pregou um exercício de igualdade, alertando que “a luta pela valorização da mulher é, portanto, um dever de todos: brasileiras e brasileiros de todas as classes, de todos os credos, de todas as raças e de todas as regiões do País”.

    ABRDilma: eleição de uma mulher para a Presidência da República inaugurou novo momento no Brasil
    Dilma: eleição de uma mulher para a Presidência da República inaugurou novo momento no Brasil


    Dilma, no entanto, admitiu que sua chegada ao comando do País representou um novo momento de valorização da mulher no Brasil.

    “Minha chegada à Presidência significou um momento único de afirmação da mulher na sociedade brasileira”, destacou. Mas ela também alertou: “Não podemos aceitar o falso triunfalismo, mas também não devemos nos render ao amargor derrotista”.

    Garantindo que não poderá jamais ter uma atitude ressentida contra os homens, Dilma  afirmou também que “uma presidenta não pode ter uma política tímida, ultrapassada e meramente compensatória para as mulheres”.

    Ela lembrou que o Brasil tem 97 milhões de mulheres, ou seja, 51% da população; e que 40% das famílias são chefiadas atualmente por mulheres (contra menos de 25%, dez anos atrás), mas na sequência lembrou que as mulheres ocupam apenas 45% das vagas de trabalho.

    “E continuamos recebendo menos que os homens pelo mesmo trabalho realizado. Isso tem que melhorar”, defendeu.

    “Em certas circunstâncias, a mulher continua sendo a mais pobre dos pobres, a mais sofredora entre os sofredores”, afirmou a presidenta da República, mas alertando que a mulher, mesmo sob uma dura condição de pobreza, é “a principal mola de propulsão para vencer a miséria”, porque é o centro da família.

    Depois dessa análise, Dilma justificou o motivo de o seu governo dar importância especial à mulher nos programas sociais.

    Lembrou que 93% dos cartões do Bolsa Família estão em nome de mulheres e que 47% dos contratos da primeira etapa do programa “Minha Casa, Minha Vida” foram assinados por mulheres.

    “Esse porcentual será ainda maior no Minha Casa, Minha Vida 2”, ressaltou, lembrando que a escritura dos apartamentos populares será feita em nome da mulher.

    Dilma lembrou que o seu governo, em relação às mulheres, tem procurado estimular os programas de capacitação, microcrédito e igualdade no emprego, citando várias ações e programas já colocados em prática.

    “Temos procurado apoiar a luta das mulheres em todas as áreas, sejam elas cientistas, profissionais liberais, operárias ou empregadas domésticas”, disse.

     

    Publicado por jagostinho @ 09:13



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.