Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 23nov

    REUTERS

    O PDT reiterou o apoio ao ministro pedetista, Carlos Lupi, fragilizado por denúncias de supostas

    Figueiredo: "a permanência de Lupi cabe à Dilma"

    irregularidades na pasta do Trabalho, e reafirmou sua vontade de permanecer na base do governo da presidente Dilma Rousseff, informou o presidente interino da legenda, deputado André Figueiredo (CE).

    Figueiredo fez a declaração de apoio após reunião da qual participaram senadores, deputados, presidentes de diretórios regionais e a Executiva do PDT, além do próprio Lupi, para “unificar” o discurso, segundo um deputado da sigla, uma vez que parlamentares da legenda chegaram a pedir que Lupi deixasse o cargo.

    “Os termos são muito claros: reiterar a confiança no ministro Lupi, deixar claro que o PDT tem consciência da importância de continuar na base do governo e a convicção de que a decisão sobre a permanência dele (Lupi) no Ministério (do Trabalho) cabe à presidente Dilma”, disse o presidente à Reuters.

    De acordo com uma fonte que acompanhou a reunião, alguns pedetistas como o deputado José Antônio Machado Reguffe (DF) e o senador Pedro Taques (MT), voltaram a pedir que o ministro deixasse o cargo.

    A informação foi confirmada por Figueiredo, que diminuiu o impacto das posições dissidentes no partido.

    “Eles (Reguffe e Taques) manifestaram democraticamente a ideia de que o PDT deveria sair do ministério”, disse o presidente. “Mas nós reiteramos a nossa confiança (em Lupi).”

    De acordo com Figueiredo, há possibilidade de o PDT divulgar nota de apoio em seu site.

    O Ministério do Trabalho tem sido alvo de denúncias de suposto esquema de cobrança de propina em organizações não-governamentais (ONGs) conveniadas com a pasta.

    Logo depois, o ministro entrou na mira, após publicação de denúncias de que teria pegado “carona” em avião providenciado por empresário e dirigente da ONG Pró-cerrado, que meses depois assinou convênios com o Ministério.

    A presidente Dilma decidiu manter Lupi no cargo para não limitar ainda mais as possibilidades que terá na reforma do primeiro escalão no início de 2012.

    Publicado por jagostinho @ 09:34



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Uma resposta

WP_Cloudy
  • Valmor Stédile Disse:

    Resumindo: 1. O ministro Carlos Lupi não renuncia e tem todo apoio do PDT para continuar no cargo; 2. Compete exclusivamente à presidente Dilma Rousseff tirá-lo eventualmente do Ministério do Trabalho; 3. A unidade partidária está assegurada e o apoio ao governo independe de participação no poder.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.