Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 06nov

    Da coluna de Celso Nascimento/Gazeta do Povo

    Inferno 1

    Amigos do governador Beto Richa têm se mostrado preocupados com a sequência de fatos negativos que vem marcando sua agenda nos últimos 30 dias.

    Na conta deles, pelo me­­­­nos três episódios ocorridos nesse período lhe trouxeram embaraços – uma espécie de “inferno astral”.

    O primeiro deles foi o até agora muito mal explicado corte da transmissão do discurso da presidente Dilma Rousseff durante o anúncio da liberação de recursos federais para a construção do metrô de Curitiba, dia 10 de outubro passado.

    As causas do corte – interpretadas como um inusitado caso de censura – ainda estão sendo investigadas pelo Ministério das Co­­­­municações.

    Inferno 2

    Outro episódio foi o tarifaço do Detran, com reajustes de taxas que chegam a 500% – medida impopular que, além de atingir milhões de paranaenses obrigados a usar os serviços da autarquia, dá motivação para descontentamento até mesmo entre os deputados da base aliada.

    O terceiro caso diz respeito à apressada decisão de colocar o hospital da Polícia Militar à disposição de 118 mil segurados do SAS da região metropolitana.

    Inferno 3

    A decisão causou revolta entre os policiais, que antes já reclamavam da precariedade das condições de atendimento do hospital, até então exclusivo para 40 mil segurados e dependentes da corporação.

    A demanda foi multiplicada por quatro sem correspondente apa­­relhamento do hospital, desagradando ao mesmo tempo os militares e os servidores civis.

    Adiado

    O conselheiro Artagão de Mattos Leão estava pronto para relatar o processo do Tribunal de Contas sobre a legalidade do ato do prefeito Luciano Ducci de romper o contrato que a Urbs mantinha com a empresa de radares Consilux.

    Na sessão de quinta-feira, porém, antes da leitura do voto, o conselheiro Heinz Herwig pediu vistas e o julgamento foi adiado.

    Está subordinada a Herwig a inspetoria de Controle Externo, cuja chefe é Solange Isfer, esposa do presidente da Urbs, Marcos Isfer.

    Publicado por jagostinho @ 09:38



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Uma resposta

WP_Cloudy
  • Rock Disse:

    Querem o que é como diz Requião, com dois neronios não da para forçar muito o piá de predio, e com isso a turma do Lerner(Taniguchi, Rossoni e Cia.) deitam e rolam, dão as cartas e jogam de mão, colocando o governo deste menino sempre no ridiculo.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.