Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 26out

    BLOG DO GILDO ALVES

    Onça-parda aparece em área urbana no Paraná

    Animal tem cerca de 1,4 metro e deixou moradores de Tibagi, nos Campos Gerais, em alerta.

    Onça-parda entrou no quintal de uma casa e subiu numa árvore afugentada por cães. A onça-parda tinha 1,4 metro de tamanho e pesava cerca de 30 quilos.

    Uma onça-parda foi vista na área urbana do município de Tibagi, próximo a Ponta Grossa.

    Na manhã desta segunda-feira (24), o animal foi visto em cima de uma árvore no centro da cidade.

    A onça-parda tinha 1,4 metro de tamanho e pesava cerca de 30 quilos.

    “Foi ligado para a polícia, mas eles acharam que era um trote”, comentou a moradora Maria Orli Bonifácio.

    A Polícia Ambiental foi acionada. Biólogos foram chamados para ajudar no resgate do animal. Eles usaram sedativos.

    Presença nas propriedades

    No centro da cidade a imagem é rara, mas nas fazendas da região a presença do Puma é bem mais frequente.

    Para evitar que o felino, predador, ataque seus rebanhos, os proprietários rurais são orientados sobre como afugentar o bicho.

    Leri Ribeiro, coordenadora de Meio Ambiente da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Turismo, ressalta que a Onça-Parda é um felino esbelto e ágil, que se adapta facilmente a diversos habitats mas que tem preferência por mata fechada.

    “Por isso é importante manter a área em torno da propriedade limpa, capinada, porque o Puma não gosta de campo aberto”, indica.

    Outra orientação é recolher os animais da propriedade ao final do dia em estábulos, currais, chiqueiros e locais fechados, seguros.

    As fêmeas em época de parição devem ser fechadas e acompanhadas. “Manter os animais vacinados e sadios também é importante para que, fortes, tenham maiores condições de se defender”, acrescenta.

    A gestora destaca que ações simples e práticas podem afugentar a Onça da propriedade. “Com barulho e iluminação ela não chega perto.

    Basta colocar rádios à pilha nos estábulos, amarrar sinetas nos bovinos e ovinos ou guizos nas suas pernas. Instalar buzinas e instrumentos que emitam ruídos fortes em torno da propriedade.

    Outra dica é fazer espantalhos e colocar rádio a pilha neles. Tem de mudar a cada dois dias para o animal não se acostumar”, aponta.

    Leri ainda ressalta que ao usar rojões ou bombinhas para assustar o Puma, é preciso cuidar para não causar incêndios ambientais.

    “Além disso é preciso redobrar a atenção com as crianças, que não devem andar sozinhas em longas distâncias na propriedade.

    Por fim, o mais importante é não tentar capturar a Onça, porque além do perigo do ataque, este animal é raro na natureza e precisamos preservá-lo. Basta aprender a conviver”, finaliza.


    No Mundo Globalizado, até Onça passeia pela cidade.

    Publicado por jagostinho @ 16:52



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.