Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 26out

    BLOG DO JOSIAS DE SOUZA/FOLHA ONLINE

                                                                                                                                                                                         

    Se este início de semana virasse um filme –‘Dona Dilma e seus dois ex-presidentes’—, a trilha sonora teria de incluir ‘Imagine’, de Jonhn Lennon.

    A cada aparição do inimaginável, a canção pediria, ao fundo, para a plateia imaginar um mundo de paz e confraternização…

    …Um mundo racional, sem nada que justificasse matar ou morrer. Um paraíso de seres inocentes, movidos pelo ideal iluminista da sociedade sem fronteiras.

    Considerando-se as diferenças que separam PT e PSDB de suas semelhanças, ‘Imagine’ soaria paradoxal.

    Petistas e tucanos exibem uma disposição incontrolável de manter –figurativamente— uma guerra política religiosamente ritualizada.

    Exibindo um talento político insuspeitado, Dilma busca no convívio amistoso com os caciques das duas aldeias a eliminação dos instintos tribais.

    Antes de deixar Brasília, Lula dissera à sucessora que fazia questão de acompanhá-la na inauguração de uma obra que iniciou: a ponte sobre o Rio Negro.

    Em fevereiro, num compromisso social, FHC solicitara à pupila do rival que concedesse audiência a um grupo de anciãos que integra, o ‘The Elders’.

    Num gesto estudado com esmero, Dilma cuidou de aproximar os dois eventos, acomodando-os na agenda em dias justapostos.

    Na segunda (24), proporcionou a Lula uma inauguração-comício. Permitiu-se posar ao lado dele ostentando um cocar indígena.

    Nesta terça (25), franqueou a mesa do Alvorada para FHC e seu grupo de ex-líderes humanitários –do americano Jimmy Carter à finlandesa Martti Ahtisaari.

    O petismo reage com assombro à aproximação de Dilma com um FHC que, na campanha, a chamara de “boneca de ventríloquo”.

    O tucanato espanta-se com a “rendição” de FHC à criatura de um antagonista que julga ter descoberto o Brasil em 2003.

    Alheia aos assombos e espantos, Dilma empurra para dentro de sua biografia uma matéria prima escassa: o espírito republicano.

    À sua maneira, a presidente durona amacia sua Presidência. Retira de cena o excesso de ódio. Relaciona-se gostosamente com os dois ex-presidentes.

    Ao dar continuidade a um sem renegar os avanços do outro, Dilma leva ‘Imagine’ à vitrola. Quem poderia imaginar?

     

    Publicado por jagostinho @ 10:28



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

2 Respostas

WP_Cloudy
  • Paulo Costa Disse:

    Por essa e por outras é que eu estou com Dilma. Rapidinho ela sem desenvolvendo grande habilidade na diplomacia política. O meio termo é orientação dos Sábios, ela parece ter apreendido logo. Daqui para a frente ela vai se desgarrando do seu padrinho e traçando o seu próprio caminho e lugar na história.
    Parabéns Presidenta Dilma. Sucesso!…

  • MÍRIAM Disse:

    O JOGO DE CINTURA E AS ALIANÇAS FAZEM COM QUE O QI, INDICE INTELIGÊNCIA , SE DESTAQUE , NA PERSONALIDADE .
    NA PRIMEIRA FOTO, A LEITURA É: EU OS RECEBO E SEJAM BEM- VINDOS, JÁ NA SEGUNDA : SOMOS DA MESMA TRIBO .

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.