Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 07jun

    JORNAL DE LONDRINA/FÁBIO SILVEIRA

    O Ministério Público (MP) protocolou na, 4ª Vara Cível de Londrina, uma ação

    Barbosa Neto e sua mulher, Ana Laura/ARQUIVO

    civil pública por improbidade administrativa pedindo, liminarmente, o afastamento do prefeito de Londrina, Barbosa Neto (PDT), e do secretário de Planejamento do município, Fábio Góes.

    O anúncio foi feito nesta terça-feira (7), pela promotora Leila Voltarelli, em entrevista coletiva à imprensa, na sede do MP. A decisão do juiz Mario Azolini pode sair ainda nesta terça.

    Além do próprio prefeito e de Góes, foram denunciados na mesma ação a mulher de Barbosa, Ana Laura Lino; Bruno Valverde, do Instituto Atlântico; o publicitário Ruy Nogueira; o biólogo Ricardo Ramirez, sócio de Nogueira, e o ex-presidente da Associação Recreativa Esportiva Londrinense (Arel), Wilson Vieira.

    Segundo a promotora, a ação tem relação com a “reunião dos cheques”, relatada no Blog Baixo Clero, do jornalista Fábio Silveira.

    De acordo com a Promotoria do Patrimônio Público, entre os fundamentos para o pedido de afastamento está a forma como uma ex-assessora da Secretaria de Saúde e servidora de carreira foi afastada do cargo.

    Acusações contra ela teriam sido uma forma de desviar o foco das denúncias contra a primeira-dama, Ana Laura Lino. Outro argumento do MP é a possibilidade de o prefeito Barbosa Neto interferir na produção de provas e nas investigações, se continuar no cargo.

    A promotora Leila Voltarelli informou que a ação civil pública proposta contra o prefeito trata de duas situações distintas, anteriores à contratação das duas Oscips: a interferência de Ana Laura Lino, na contratação das Oscips, e a reunião dos cheques, ocorrida no gabinete de Fábio Góes, na qual Ana Laura pediu R$ 20 mil em dinheiro a Bruno Valverde.

    Durante entrevista coletiva aos jornalistas nesta manhã, Barbosa Neto alegou a “falta de provas concretas” contra ele e sua mulher.

    Questionada sobre isso, Leila Voltarelli afirmou que existem evidências de que o prefeito tinha “o poder de mando” sobre as situações apuradas.

    “A intervenção de Ana Laura Lino, fazendo reuniões para tratar das contratações e do levantamento de dinheiro, deixa claro que o prefeito tinha influência e interferência direta nesses fatos”.

    Prefeito nega participação no esquema de corrupção

    Em entrevista coletiva aos jornalistas na manhã desta terça-feira (7), o prefeito Barbosa Neto (PDT) negou participação dele e de sua mulher, Ana Laura Lino, no esquema de corrupção na saúde deflagrado pela Operação Antissepsia.

    Barbosa atribuiu as denúncias ao jogo político e alegou falta de provas concretas contra ele e a mulher.

    “Há muitos agentes políticos adversários, alguns que foram derrotados em campanhas, que estão insuflando isso. Esperava que houvesse provas, além do testemunho das pessoas”, afirmou.

    “Se eu tivesse mentindo estaria preso neste momento. O que há é fofoca, acusação de dois ou três querendo nos imputar. Tenho certeza que o Tribunal de Justiça [TJ] vai restabelecer a verdade”, afirmou, sem ter conhecimento do pedido de afastamento do cargo protocolado pelo MP.

    Publicado por jagostinho @ 14:19



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

3 Respostas

WP_Cloudy
  • MIAU-COMPREENDIDA Disse:

    IHH TÁ COMPLICANDO…

  • Valmor Stédile Disse:

    O secretário de Governo da Prefeitura de Londrina, Marco Cito (PDT), atende à imprensa no gabinete, às 16h, em entrevista coletiva, para falar sobre a decisão do juiz Mário Azolini, que negou o afastamento do prefeito Barbosa Neto.

  • Valmor Stédile Disse:

    Achei esclarecedor do juiz Mário Azolini, quando ele afirma que a permanência do prefeito Barbosa Neto no cargo “não significa risco de prejuízo com a realização de novas Parcerias ou de que existam ameaças à instrução processual, caso esta Ação Civil Pública vier a ser recebida”. Ou seja, sob a administração do prefeito pedetista a Prefeitura é parceira do Ministério Público nas investigações. E se Barbosa saísse?

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.