Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 06jun

    Chris Machiavelli / Assessoria Cravi

    A Casa de Recuperação Água da Vida (CRAVI) completa, nesta segunda-feira, 14 anos de existência.

    Coordenada pelo psicólogo, Flavio Lemos e a assistente Social, Ely Lemos, a CRAVI conseguiu se estabelecer perante a sociedade organizada mesmo com as dificuldades que tem encontrado.

    De acordo com Flavio, a falta da cultura de voluntariado e de responsabilidade social por parte da comunidade em geral faz com que as entidades assistenciais, que estatutariamente não tem fins lucrativos, trabalhem sempre no limite.

    “ Além disso, não temos políticas públicas que resguardem as comunidades terapêuticas, modalidade da qual fazemos parte”, afirmou o psicólogo, salientando que os discursos são inversamente proporcionais às ações.

    “Ainda vivemos na era de muito falar e pouco fazer”.

    Ainda assim, Flavio consegue detectar que os pontos positivos superam as necessidades.

    “A CRAVI, acima de tudo significa chamado, missão, disposição para atender aquele que precisa independente das circunstâncias que nos são apresentadas diariamente”, comemora.

    “Servir ao próximo está no coração de Deus e é isso que fazemos”, finalizou.

    A Entidade – A CRAVI é uma instituição filantrópica que trabalha na área de orientação, prevenção e recuperação de usuários de drogas desde 1997.

    Tem como missão proporcionar o aprendizado para a formação de uma nova vida, através restaurar os valores nas áreas bio-psico-sócio-espiritual.

    A CRAVI trabalha com o modelo de comunidade terapêutica, que cria um ambiente de microssociedade.

    A pessoa, na comunidade passa a ser chamado de Residente, e como tal é um agente da sua recuperação.

    O desenvolvimento do programa tem como objetivo promover num contexto democrático de cidadania e reinserção social uma consciência critica pessoal e social que visa a mudança de estilo de vida.

    Para isso são trabalhados três estágios que são concluídos em seis meses de recuperação.

    A família do residente também é amparada pelo programa da CRAVI. Uma vez por semana acontece um encontro com os familiares dos residentes.

    O atendimento é priorizado em grupo e se necessário, individual. Os encontros têm como objetivo orientar, informar, ouvir, discutir, criar reflexões sobre questões relacionadas a drogas e suas consequências.

    Após o fim do tratamento a pessoa recebe manutenção do tratamento, com reuniões de pós-residência e com a oportunidade de voluntariado dentro da instituição.

    Sabendo da importância da prevenção ao uso das drogas, a CRAVI disponibiliza informação através de palestras em escolas, empresas e igrejas.

    Abordando desde a escala do uso e abuso de substâncias psicoativas, a conseqüência até os métodos de prevenção do problema.

    A CRAVI conta hoje com quatro unidades de tratamento e uma central de atendimento.

    Sendo uma unidade feminina em Curitiba, uma masculina em Almirante Tamandaré e outra na cidade de Curitibanos em Santa Catarina.

    A CRAVI também conta com um abrigo e albergue feminino que trabalha com adolescentes em situação de risco.

    A CRAVI trabalha de acordo com as normatizações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), com a RDC 101, bem como, todas as regulamentações necessárias para o funcionamento de uma instituição filantrópica.

    Publicado por jagostinho @ 19:29



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.