Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 27maio

    Paraná Online/Elizabete Castro

    A partir da próxima semana, o ex-deputado federal Gustavo Fruet (PSDB) começa

    É a primeira vez que o ex-deputado federal se dispõe a sondar outras possibilidades além do PSDB

    uma rodada de conversas com as lideranças dos partidos que mostraram interesse em tê-lo como candidato a prefeito de Curitiba nas eleições do próximo ano.

    Os primeiros da lista são o PMDB e o PDT.

    Não é a despedida do PSDB, mas o início de um novo ciclo de negociações, desta vez, sem intermediários.

    Até agora, Gustavo ouviu as propostas e os convites. A partir de agora, o tucano toma a iniciativa de procurar aqueles que foram até ele, para continuar o diálogo.

    “Não vou ficar na imobilidade. Esta situação está muito cômoda para o PSDB”, disse Gustavo que está escolhendo seus interlocutores com o cuidado de quem não pode dar um passo em falso.

    Tanto no PMDB como no PDT, os contatos serão feitos não apenas com as lideranças estaduais, mas também e principalmente com os dirigentes nacionais.

    É a primeira vez que Gustavo se dispõe a sondar outras possibilidades além do PSDB, onde espera há meses por uma demonstração de que o espaço para a sua candidatura a prefeito é maior do que a vontade de apoiar a reeleição do prefeito de Curitiba, Luciano Ducci (PSB).

    “Vou fazer uma avaliação de cenário e de possíveis coligações. Eles me chamaram para o diálogo. Estou admitindo o diálogo com diferentes partidos”, disse o ex-deputado federal.

    Na reserva, não!

    Faz quase um mês que o presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, e o ex-governador José Serra, pediram para Gustavo ter paciência, que tudo iria se resolver no PSDB, já que Curitiba é a única capital, onde um nome do partido aparece em primeiro lugar nas pesquisas.

    De lá para cá, nada mudou e Gustavo decidiu que não quer mais ser “regra três” dos tucanos.

    “Não quero mais esta posição, em que eu fico quieto e se não der certo a coligação, eles me chamam. Aconteceu assim na eleição para o Senado. Não vai acontecer de novo”, avisou o ex-deputado.

    Em 2010, ele brigou para ser candidato ao Senado. A direção do partido preferiu reservar a vaga para o ex-senador Osmar Dias (PDT), que acabou mantendo a candidatura ao governo.

    Gustavo foi chamado na última hora e aceitou concorrer no lugar de Osmar. Não vai repetir a dose, garante.

    Publicado por jagostinho @ 11:17



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

2 Respostas

WP_Cloudy
  • Valmor Stédile Disse:

    E quando Gustavo terminar esta rodada de avaliações por certo fará a rodada da definição, acho que na ordem inversa. Os primeiros serão os últimos e ele ficará mesmo entre o PMDB e o PDT, optando pela legenda que lhe assegurar maiores garantias para se apresentar na disputa. É o óbvio ubrizolante.

  • Chico Somavilla Disse:

    Gustavo Fruet é a bola da vez p/ a prefeitura de Curitiba. O PSDB, devido a falta de habilidade política e interesses pessoais de seus dirigentes perderá um grande nome, uma grande pessoa e um político ético. O PDT parece ser o caminho mais adequado a Fruet, pois o PMDB, em outras épocas também já teve sua chance.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.