Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 10maio

    Paraná Online/Ana Carolina Bendlin

    Ciciro Back/O Estado
    Nova Unidade de Transplante de Medula Óssea poderá dar mais atenção e conforto aos pequenos pacientes.

     

    Quando tinha apenas nove anos, o publicitário Guilherme Medeiros, hoje com 28 anos, recebeu o preocupante diagnóstico de leucemia.

    Depois de passar por um período de quimioterapia no Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba, ele e a família receberam a notícia da necessidade de um transplante de medula óssea (TMO), procedimento que não poderia ser feito nesse estabelecimento na época.

    Então, começaram uma verdadeira peregrinação para escolher o hospital adequado para o transplante, optando pelo Hospital Albert Einstein, em São Paulo, que oferecia condições de atender crianças com profissionais especializados no público infantil, diferente de outros hospitais que poderiam realizar o procedimento.

    Agora, quase vinte anos depois, as crianças que passam pela mesma situação de Medeiros podem contar com a opção de fazer transplante e tratamento em um mesmo hospital especializado no atendimento infantil em Curitiba, o próprio Hospital Pequeno Príncipe.

    O estabelecimento acaba de inaugurar a nova Unidade de Transplante de Medula Óssea, que deve realizar seu primeiro procedimento ainda neste mês de maio e pretende atender cerca de 36 pacientes por ano.

    “Essa nova unidade é um sonho que conseguiu mobilizar a sociedade para arrecadar dinheiro e construir esse espaço, com três leitos para transplante”, afirma o médico responsável pelo serviço de TMO do Pequeno Príncipe, Eurípedes Ferreira.

    Ciciro Back/O Estado
    Ferreira: “mais opções de tratamento aos pacientes”.

     

    No entanto, apesar do novo espaço, o hospital ainda não poderá atender toda a demanda por transplantes de medula óssea em crianças.

    “Atualmente, recebemos aqui no hospital entre 120 e 150 pacientes com câncer e pelo menos 20% delas tem necessidade de um transplante de medula óssea, que é mais do que podemos atender, sem dúvida vamos ter que continuar encaminhando pacientes para outros hospitais, mas pelo menos agora podemos oferecer opções de tratamento para alguns deles”, comenta Ferreira.

    Panorama

    De acordo com informações do Instituto Nacional do Câncer (Inca), atualmente cerca de 1,2 mil pacientes aguardam por um transplante de medula óssea no Brasil inteiro.

    Desse total, cerca de 45% seriam crianças e jovens. Como os pacientes são cadastrados pelo Registro Brasileiro de Receptores de Medula Óssea (Rereme), o Inca não sabe informar quantos deles estariam no estado do Paraná.

    Publicado por jagostinho @ 15:37



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

2 Respostas

WP_Cloudy
  • Ministério Disse:

    Olá, blogueiro (a),

    Salvar vidas por meio da palavra. Isso é possível.

    Participe da Campanha Nacional de Doação de Órgãos. Divulgue a importância do ato de doar. Para ser doador de órgãos, basta conversar com sua família e deixar clara a sua vontade. Não é preciso deixar nada por escrito, em nenhum documento.

    Acesse http://doe.vc/mq e saiba mais.

    Para obter material de divulgação, entre em contato com [email protected]

    Atenciosamente,

    Ministério da Saúde
    Siga-nos no Twitter: http://www.twitter.com/minsaude

  • Míriam Disse:

    Este hospital é nota dez. Já faz um bom tempo em que fui voluntaria no Pequeno Príncipe, e fiquei admirada com a dedicação e o tratamento dispensado às crianças , mesmo pelo sus .
    Como é bom poder colaborar e ver resultados.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.