Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 07jan

    Fonte:-ASSOCIATED PRESS

    Visitantes ocidentais no Zimbábue estão em busca de zeros: as velhas cédulas de

    ota de 10 bilhões de dólares zimbabuanos; a moeda saiu de uso há quase dois anos e agora vira suvenir

    dinheiro, principalmente a nota de 100 trilhões de dólares zimbabuanos, viraram um suvenir econômico.

    A nota de 100 trilhões de dólares –na qual o 100 é seguido por 12 zeros– já foi a de maior valor no país, e hoje é vendida por US$ 5, dependendo de suas condições.

    Essa cédula e outras –entre milhões, bilhões e trilhões– saíram de uso há quase dois anos, quando o dólar americano foi adotado em meio à esperança de derrotar o dragão da inflação recorde, responsável por todos aqueles zeros.

    “Eu tinha que ter uma”, disse Janice Waas, em visita à cidade turística de Victoria Falls. “Os números são de virar a cabeça.” Ela conseguiu o chamado “Zimdólar” em condições impecáveis, de um vendedor de rua que costuma vender esculturas africanas.

    “É perfeito para quem gosta de jogos, cálculos e coisas como o cubo mágico”, disse ela.

    O marido dela, Thomas Waas, físico e engenheiro da Alemanha, fez uma estimativa: se a população mundial é de 7 bilhões de pessoas, cada uma deveria receber milhares de velhos dólares zimbabuanos apenas dessa única nota de 100 trilhões.

    Janice disse que os ocidentais estão comprando as notas por seu valor de curiosidade. Um australiano queria uma para exibir em seu bar.

    Vendedores de ruas dizem que os visitantes ficaram tão intrigados com as notas que elas estão acabando, dois anos após a moeda ter saído de uso graças a um acordo de divisão do poder entre o governante de longa data, o ditador Robert Mugabe, e o ex-líder opositor, o premiê Morgan Tsvangirai.

    Visitantes de países familiares com a hiperinflação, como o Congo e outros países pobres da região e da América do Sul, mostraram menos interesse pelas notas.

    No auge da derrocada econômica do Zimbábue, em 2008, quando a inflação recorde chegava a bilhões de porcentagem anualmente e os preços escalavam a cada hora, a nota de 100 trilhões mal enchia um carrinho de supermercado.

    Em 2008, 700 milhões de dólares zimbabuanos compravam um pão.

    No pior momento, os valores do dinheiro chegaram a 10 elevado a 25 –10 seguido por 25 zeros.

    Publicado por jagostinho @ 18:24



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.