Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 19dez

    Fonte:- Agência Senado

    O senador Alvaro Dias (PSDB-PR) cobrou nesta segunda-feira (13) da futura presidente da República, Dilma Rousseff, o cumprimento de sua promessa de campanha de realizar a reforma política já no início da próxima legislatura. Para o senador, a reforma deverá ser articulada pela presidente, sendo o processo conduzido pelo Senado Federal e pela Câmara dos Deputados.

    – Dizem que defendemos a reforma que interessa a nós [oposição], não é o caso. Sobretudo, se [a reforma] fornecer ao país um modelo que diminua a corrupção que quase sempre começa nas campanhas eleitorais. A reforma política, portanto, é indispensável – defendeu, em pronunciamento.

    Alvaro Dias afirmou que as eleições de outubro foram as mais corruptas de que já teve notícia. Declarou-se contrário às coligações partidárias, especialmente nas eleições majoritárias, que, avalia, visam obter mais tempo de exposição dos candidatos no horário eleitoral gratuito no rádio e na televisão. O senador acredita que tais coligações favorecem “os partidos poderosos”.

    O parlamentar disse que o eleitor acaba sendo prejudicado no modelo eleitoral atual, por exemplo, ao votar no candidato a deputado federal Tiririca (PR) e eleger, sem o seu conhecimento, o ex-delegado da Polícia Federal Protógenes Queiroz (PDT), enfatizando que eles nada têm a ver um com o outro.

    Programa partidário esvaziado

    Na opinião de Alvaro Dias, a reforma política também poderá reverter o processo de desvalorização do programa dos partidos, que tem levado o eleitor a confundir a ideologia das agremiações. O senador disse que muitas vezes o eleitor do PSDB vota no seu candidato acreditando que está votando em partido de direita ou então aposta em candidato do PCdoB ignorando tratar-se de agremiação comunista.

    – Não se valoriza o programa partidário, não há ideário; os programas são rasgados e jogados ao lixo da política brasileira, e os que respeitam o programa são muitas vezes mal interpretados e punidos por isto – lamentou o parlamentar.

    Apartes

    Papaléo Paes (AP), colega de partido de Alvaro Dias, criticou o PT que, uma vez tendo chegado ao poder, para atender aos aliados, passou a ignorar seu programa partidário.

    Acir Gurgacz (PDT-RO) salientou que o abuso do poder econômico verificado nas campanhas eleitorais dá início ao ciclo de corrupção já no processo eleitoral. Ele ponderou que a reforma política realizada pelo Congresso Nacional não atendeu aos anseios da população, sendo necessária uma reforma mais ampla que inclua elementos como o financiamento público de campanha e a concretização do desejo do eleitor.

    Ao encerrar seu pronunciamento, Alvaro Dias lembrou que o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) apresentou proposta de emenda à Constituição (PEC 29/07) extinguindo a coligação nas eleições proporcionais, que aguarda votação em Plenário. Lembrou ainda de proposta sobre a cláusula de barreira ou de desempenho, apresentada por Marco Maciel (DEM-PE).



    Publicado por jagostinho @ 15:48



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Uma resposta

WP_Cloudy
  • Honorato Disse:

    Este é um senador que não perde a coerencia nunca. Preparado e o mais competente do senado federal

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.