Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 16dez

    * por João Arruda

    É com muita vergonha que eu peço desculpas aos paranaenses pela adesão do meu partido, o PMDB, ao governo do PSDB a partir de janeiro.

    Na verdade, esse adesismo é uma rendição sem combate, o que agrava ainda mais a situação.

    Os eleitores decidiram nas urnas que a nossa legenda fosse à oposição depois de sete anos e três meses da magnífica gestão de Roberto Requião.

    Eles também orientaram que os partidos que apoiaram o senador Osmar Dias, do PDT, tomassem o mesmo rumo.

    O desrespeito à vontade popular é um crime capital na política. É a pior espécie de infidelidade, pois se trai não apenas o partido, mas principalmente o sábio eleitor.

    A bancada estadual do PMDB na Assembleia Legislativa do Paraná comete o seu maior erro estratégico ao rebocar-se ao PSDB tanto no parlamento quanto no governo.

    Poderá pagar um preço altíssimo cuja pena seria a extinção enquanto partido programático e de ideias.

    Não se trata, porém, de ser pura e simplesmente contra a ida do deputado Luiz Claudio Romanelli, outrora líder de Requião na Assembleia, para o secretariado de Beto Richa, do PSDB.

    Nada disso. A questão é política, nunca pessoal (aliás, eu prezo muito pelo parlamentar).

    Agora, eu acho que o PMDB do Paraná não deve tucanar.

    Esse verbo não deveria existir entre os peemedebistas porque há uma disparidade gigante entre os tucanos e os peemedebistas.

    O PSDB tem em seu DNA a privatização, a redução dos direitos sociais e trabalhistas, o sucateamento dos serviços públicos, movimenta-se de acordo com a orientação neoliberal, com o deus mercado, e, nós, peemedebistas, temos como farol a Carta de Puebla, em defesa dos mais necessitados.

    Farei oposição ao governo tucano no Paraná. Não me entregarei aos paraguaios, como ensaiam alguns companheiros de partido.

    No plano nacional, seguindo a determinação de minha consciência e do partido, estarei ao lado da presidente Dilma Rousseff.

    Entretanto, como socialista-cristão que sou, acredito no exercício da autocrítica e no arrependimento das pessoas.

    Por isso acho possível ainda reverter essa situação que envergonha o nosso velho MDB de guerra, como gosta de dizer o Requião.

    Se provocado, o partido haverá de posicionar-se sobre a adesão ao PSDB.

    É bom deixar claro que o PMDB é muito maior que a bancada de deputados estaduais.

    Temos ainda que consultar os 399 diretórios municipais, os seis deputados federais, os 149 prefeitos e os 830 vereadores antes de decidirmos se vamos tucanar.

    É assim que funciona a democracia.

    * João Arruda é deputado federal eleito e secretário-geral do PMDB do Paraná.



    Publicado por jagostinho @ 09:13



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

4 Respostas

WP_Cloudy
  • Dannyboy Disse:

    Alguém precisa avisar ao sobrinho que o mundo da fantasia acabou há 9 meses e está na hora de cair no mundo real.
    Precisam avisar ao sobrinho algo que seu tio já sabe muito bem, no mundo real o PMDB é adesista desde que o homem saiu das cavernas.
    Roberto Requião sempre soube muito bem disto, e enquanto esteve no poder aproveitou o adesismo do PMDB e de outros partidos e governou com maioria absotluta. Foi só passar a faixa para assistir de camarote todas as realizações de seu governo (boas ou más) irem pelo ralo, haja vista que o PMDB já tinha aderido ao novo mandatário Panssuti.
    Alguém em sã consciência poderia esperar alguma coisa diferente nos próximos 4 anos?? O Partido do Quercia, Sarney, Barbalho, Calheiros aderiu ao poder em todo o território nacional, em qualquer estado seja o governo de Extrema direita ou extrema esquerda (passando por tudo o que tiver no meio), esse sempre teve como principal aliado o PMDB.
    Portanto essa “carta” do sobrinho João Arruda ou demonstra uma enorme ingenuidade, ou é só o desespero de quem se vê, e a toda a familia, perdendo poder mesmo.

  • Duque Disse:

    Acho que os peemedebistas verdadeiros como Arruda e Requião e outros tantos devem estar envergonhados memsmo como esse oportunista chamado Romanelli que é sem dúvida um cancro da política. Típico demagogo. Vergonha ele nunca teve.

  • Duque Disse:

    Tem razão o Arruda. Este Romanelli é um demogogo e oportunista. Um cancro da politica. Deve o mandato ao Requião mas é um filho bastardo e traidor.

  • Gervásio Disse:

    É tudo uma merda só. Qdo governador requião, teve tucanos no seu secretariado. Vendidos todos. Agora o romanelli é um caso a parte. De açogueiro em Londrina para deputado vendido no Paraná. Bela história hein? Pouca vergonha. Que os açogueiros mre desculpem, mas esse é um péssimo exemplo.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.