Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 09dez

    Fonte:- Emanoelle Wisniesvski/Imprensa/Tibagi

    O dia 24 de agosto de 1998 marcou a vida de pelo menos 30 famílias que hoje moram no Assentamento Rincão, há 30 quilômetros da cidade de Tibagi.

    A paisagem rural é das mais belas, ao pé do Morro do Jacaré, onde o plantio orgânico de hortaliças e a produção de leite são as principais fontes de renda de trabalhadores que representam um exemplo bem sucedido de reforma agrária.

    Cada família vive em lotes de aproximadamente seis alqueires, conquistados em área desapropriada pelo governo federal naquele ano. “Chegamos aqui, montamos o assentamento nas lonas mesmo e logo depois conseguimos a emissão de posse, o título da terra. Já estava desapropriado.

    Desde então, vivemos na nossa própria terra. Não tem coisa melhor no mundo”, diz Osmair Wernek, um dos beneficiados pelo Incra.

    Mas somente a terra não resolve o problema de famílias que lutam para viver no campo. “Não só na minha [vida], mas na de todas as pessoas que vivem aqui, o Rincão significa muita coisa. É um dos maiores sonhos a pessoa conquistar um pedaço de terra. Acho que todo mundo vive contente aqui.

    Mas, não só aqui, como em vários lugares, pode dar certo desde que tenha o apoio, como nós temos em Tibagi”, afirma Osmair, referindo-se aos programas dos governos municipal, estadual e federal que contemplam a agricultura familiar.

    Compra Direta

    No Rincão, um dos projetos que mais está estimulando a produção orgânica de hortaliças é o PAA – Programa de Aquisição de Alimentos do governo do Estado, mais o Compra Direta da Merenda Escolar pela Prefeitura.

    As duas iniciativas contemplam pequenos produtores rurais de hortifruti e de biscoitos com a aquisição dos itens para usar nas refeições servidas em entidades assistenciais e escolas.

    Walmar Eidan, secretário municipal de Agricultura e Abastecimento, explica que pelo menos 30% dos produtos usados na merenda escolar devem ser adquiridos da agricultura familiar por determinação do Programa Nacional de Alimentação Escolar.

    “Nós em Tibagi já fazíamos essa compra direta antes mesmo da ordem do governo. Agora ampliamos e temos conseguido bons resultados tanto para os produtores, que têm garantia de escoamento da sua horta, quanto para as escolas, que são servidas com produtos frescos e que não usam agrotóxicos”, indica.



    Publicado por jagostinho @ 11:26



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.