Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 03dez

    A Itaipu Binacional recebeu nesta noite de quarta-feira (1), em Brasília, o maior prêmio nacional em reconhecimento a cuidados com as águas, o Prêmio ANA 2010, promovido pela Agência Nacional de Águas. A maior hidrelétrica do mundo em geração de energia foi premiada na categoria empresas, com seu programa socioambiental Cultivando Água Boa. Ao todo, foram 286 inscrições, que resultaram em 21 finalistas.

    O Prêmio ANA soma-se a uma série de honrarias nacionais e internacionais que vêm fazendo do Cultivando Água Boa – em execução desde 2003 – uma referência no que diz respeito ao gerenciamento sustentável de bacias hidrográficas. Na semana passada, o programa já havia sido apresentado como modelo para a recuperação de passivos ambientais no Congresso Nacional do Meio Ambiente da Espanha (Conama 10), realizado em Madri.

    A entrega do prêmio ANA foi realizada no teatro da Caixa Cultural de Brasília e contou com a presença da ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, do ministro da Previdência Social, Carlos Eduardo Gabas, do presidente da ANA, Vicente Andreu e do secretário executivo do MMA, José Machado, responsável pela criação do prêmio quando de seu gestão como presidente da agência.

    “O premio ANA 2010 é de todos nós que fazemos parte do Cultivando Água Boa. Uma conquista que homenageia nossos sonhos, nossa equipe, nosso trabalho, nossos parceiros e nossa comunidade da Bacia do Paraná 3”, afirmou o diretor de Coordenação e Meio Ambiente da Itaipu, Nelton Friedrich, que recebeu o prêmio em nome da empresa, acompanhado do superintendente de Meio Ambiente, Jair Kotz.


    O programa

    O Cultivando Água Boa é um conjunto de 20 programas e 65 ações que reúne mais de 2 mil parceiros (desde de associações de bairro a ministérios do Governo Federal). A área de execução é a região conhecida como Bacia Hidrográfica do Paraná 3, composta das microbacias conectadas com o reservatório da Itaipu. As ações trabalham os diversos passivos ambientais desde as nascentes dos menores córregos até chegar aos rios principais.

    O grande diferencial do programa, explica Friedrich, está na mobilização comunitária. O Cultivando Água Boa é tocado por comitês gestores municipais, com ampla participação popular. Até o momento, foram trabalhadas 127 microbacias, sendo que diversas já zeraram seus passivos ambientais, com medidas como a recomposição de matas ciliares, o monitoramento participativo (feito pela comunidade) da qualidade da água, a readequação de estradas rurais, a implantação de abastecedouros comunitários, a adoção de práticas agroecológicas, a coleta seletiva de lixo, entre outras.

    “Um dado muito significativo que expressa a participação comunitária está no fato de que hoje, as ações de educação ambiental envolvem mais de 10 mil pessoas na bacia. Desse contingente, apenas cinco são funcionários da Itaipu”, exemplifica Friedrich.

    O prêmio

    Com o tema “Água: o Desafio do Desenvolvimento Sustentável”, o Prêmio ANA 2010 bateu o recorde de inscrições de 2006, que teve 284 participantes. Neste ano, foram registrados trabalhos de todas as regiões do País e de todos os perfis de instituições (empresas públicas, privadas, órgãos de governo e ONGs). O processo de seleção começou em agosto e a Comissão Julgadora escolheu os semifinalistas do Prêmio. Então, as iniciativas passaram por vistoria realizada por servidores da Agência. A partir dos relatos das vistorias, os membros da Comissão Julgadora definiram os três finalistas de cada categoria e, entre eles, os vencedores do Prêmio ANA 2010 durante reunião fechada dos julgadores.

    Publicado por admin @ 12:05



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.