Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 28set

    ASSESSORIA DE IMPRENSA/EDUARDO MIRA

    Na sessão plenária do Senado desta terça-feira (28), o senador Alvaro Dias, líder do PSDB na casa federal, reafirmou sua decisão de apoiar o irmão e candidato ao governo do Paraná Osmar Dias (PDT) na reta final da campanha eleitoral. Osmar é o principal adversário do candidato do PSDB, Beto Richa, que vem agredindo o pedetista na última semana com ataques classificados por Alvaro como “fortuitos, desnecessários, improcedentes e desonestos”.

    Desde o início da disputa, Alvaro optou por se manter afastado da campanha, mas disse que as agressões contra Osmar o forçaram a tomar uma atitude. “Quando anunciei meu distanciamento da disputa eleitoral do Paraná, o fiz ressalvando que um fato novo preponderante poderia alterar meu comportamento. E o fato ocorreu: na última semana, o candidato do meu partido passou a atacar o seu adversário, circunstancialmente, o meu irmão”.

    Álvaro revelou que sua manifestação de apoio também foi baseada na avaliação do que considera melhor para o Paraná. “Por conhecer os dois candidatos, a proposta de cada um, o modelo de gestão que cada um pode oferecer ao Estado e, sobretudo, por conhecer o perfil de caráter e personalidade que cada um pode ostentar diante do povo do Paraná, não tenho dúvida que Osmar é a melhor opção”, afirmou.

    Relatando as agressões de Richa à campanha de Osmar, Alvaro disse que, ao assumir publicamente apoio à candidatura do irmão, sentiu-se de consciência tranqüila por estar defendendo “alguém que tem conduta de probidade e que é inatacável e, portanto, não poderia ser atacado no desespero na luta eleitoral”.

    Para Álvaro, ataques de natureza política se justificam por discordâncias e até mesmo eventuais incoerências politicamente discutíveis, mas, “sob o ponto de vista moral, o ataque desonesto tem que ser repudiado. E, neste caso, com maior ênfase, por se tratar de um ataque contra o próprio irmão e, portanto, contra a própria família”, afirmou.


    O líder do PSDB no Senado ressaltou que sua postura é condizente com o respeito que devota à memória de seus pais e à família. “O partido é uma instituição importante, sem dúvida, mas a família é a instituição basilar da sociedade. Eu não poderia ouvir agressões despropositadas, assacadas, contra um irmão sem defendê-lo. A indagação que faço é: teria eu autoridade moral e política para defender quem quer que seja, se não defendo meu próprio irmão?”.

    Manifestações de apoio – A atitude de Alvaro recebeu apoio do senador Roberto Cavalcanti (PRB/PB). Para ele, o tucano “merece os parabéns do povo brasileiro”. “É um exemplo para o Brasil de como se fazer política, não se afastando de seus ideais e posturas. Sabe-se do acirramento das campanhas eleitorais nos estados e é chegada a hora de ficar ao lado do irmão. O senhor escolheu a hora oportuna de estar ao lado de seu irmão. Sua conduta mostra ser uma pessoa que tem na família um dos fundamentos básicos do existir”, elogiou.

    Da tribuna, o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) também se manifestou a favor da postura do senador Álvaro Dias. Ele aproveitou para elogiar Osmar Dias, quem disse respeitar por seu trabalho sério, competente e incansável pela agricultura do Paraná e do Brasil.

    Confira trechos do pronunciamento de Alvaro Dias na plenária do Senado Federal:

    “Posicionamento político que a primeira vista pode ser contraditório, mas que revela a necessidade de ser sincero, transparente e, em respeito a população, declaro o voto. Não imaginava pudesse algum dia, viver essa circunstancia política de constrangimento. Nunca imaginei que isso viesse a ocorrer em minha trajetória: de um lado o partido, com um candidato ao governo estadual, de outro lado um irmão, disputando o mesmo posto. De início, optei por postura de neutralidade que significasse respeito ao partido e respeito à família. O partido é uma instituição importante, sem dúvida, mas a família é a instituição basilar da sociedade. Situação inusitada e de constrangimento.

    Quando anunciei a postura de distanciamento da disputa eleitoral do Paraná, o fiz ressalvando que um fato novo preponderante poderia alterar meu comportamento. E o fato ocorreu: na última semana, o candidato do meu partido passou a atacar o seu adversário, circunstancialmente, o meu irmão. Ataques fortuitos, desnecessário, improcedentes e desonestos. Eu não poderia ouvi agressões despropositadas, assacadas contra um irmão sem defendê-lo. A indagação que faço é: teria eu autoridade moral e política para defender quem quer que seja, se não defendo meu próprio irmão? Evidente que não. Anunciei por consequência o voto do ser humano, não do político que milita partidariamente e que tem obrigações partidárias. Mas do ser humano, que se emociona, tem sentimentos e cultiva valores essenciais, que respeita a memória dos pais, e anunciei meu voto no irmão.

    O que me confortou ao fazê-lo foi o fato de um lado defender, com a consciência tranquila de estar defendendo alguém que tem conduta de probidade e que é inatacável e, portanto, não poderia ser atacado no desespero na luta eleitoral. Ataques de naturezas políticas se justificam, de discordâncias, combate a determinadas alianças, até mesmo eventuais incoerências que possam ser politicamente condenadas, mas, sob o ponto de vista moral, o ataque desonesto tem que ser repudiado. E, neste caso, com maior ênfase, por se tratar de um ataque contra o próprio irmão e, portanto, contra a própria família.

    Aliás, neste sábado e domingo, estes ataques ocorreram reincidentemente e à margem da legislação, em inserções que foram subtraídas de outros candidatos, inclusive ao Senado da República, de ataque, de forma sorrateira, que implicaram em punição do Tribunal Regional Eleitoral retirando todas as inserções do candidato do PSDB até o dia da eleição, como punição por uso indevido de espaço que não lhe pertencia. O próprio Tribunal Regional Eleitoral entendeu existir o uso indevido de um espaço que não cabia ser utilizado e, sobretudo, para agressões fortuitas desnecessárias e improcedentes. Visualizando o fato já superado, que teve origem em denúncia esclarecida depois de ampla investigação pelo Ministério Público. No estado todos sabem da verdade, no entanto, houve utilização indevida do fato, com reincidência no fim de semana.

    Portanto, em respeito aos meus colegas de partido, a quem peço compreensão pela minha atitude, vou evitar pronunciar-me a respeito de fatos que ocorreram e que exigiriam da minha parte críticas que alcançariam o candidato do meu partido ao governo do Paraná. Evidentemente, se necessário for, eu terei oportunidade de formulá-las através da imprensa do meu estado. Por uma questão de postura ética, creio que devo evitar fazer este tipo de pronunciamento na tribuna do Senado”.

    Publicado por jagostinho @ 19:07



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

3 Respostas

WP_Cloudy
  • Sophia Cordeiro Disse:

    Internet é usada para difundir mentiras contra Dilma
    Estamos chegando à reta final da campanha. Faltam apenas cinco dias para irmos às urnas e elegermos Dilma Rousseff presidente. As pesquisas continuam mostrando a liderança da nossa candidata e apontam para uma possível vitória no 1º turno.

    Mas, diante desse cenário de vitória, inúmeras mentiras em relação a Dilma têm sido inventadas e espalhadas na internet. A baixaria mais recente diz respeito a um e-mail que atribui a ela uma falsa declaração. Segundo o e-mail, Dilma teria dito que “nesta eleição, nem mesmo Cristo me tira essa vitória; as pesquisas comprovam o que eu estou dizendo, vou ganhar no primeiro turno”.

    Dilma jamais disse isso. E nunca reconheceu uma vitória antecipadamente. Ao contrário, ela tem dito que pesquisa não ganha eleição, que eleição se ganha na urna. No mês de julho, em Curitiba, Dilma deu a seguinte declaração: “Ninguém pode subir no salto alto e sair por aí achando que já ganhou. Até o dia 3 de outubro, muita água vai rolar debaixo da ponte”.

    No dia 21 de agosto, em Mauá (SP), Dilma novamente falou: “Eleição a gente não ganha com pesquisa. Eleição a gente ganha respeitando o voto do povo brasileiro. Peço para vocês muita atenção, muito empenho e muita garra, porque de hoje até o dia 3 nós vamos disputar cada voto.”

    Outro tipo de e-mail baixaria é aquele que procura fazer campanha negativa contra a Dilma, espalhando mentiras para disseminar o medo entre a população. Como dizer, por exemplo, que o PT é contra a liberdade de culto e a liberdade de imprensa.

    Já vimos este filme em outras eleições e, como bem definiu o presidente Lula em 2002, naquele ano “a esperança venceu o medo”. E vai ser assim novamente agora, com a eleição de Dilma presidente.

    Em todos os eventos de que tem participado, Dilma demonstra coerência e valores como responsabilidade, compromisso e, principalmente, respeito ao eleitor e aos adversários.

    É isso o que tem norteado a campanha de nossa candidata. É inadmissível que queiram vencer as eleições com base em calúnias e difamações.

    Não se deixe enganar.

  • Rafael Disse:

    Parabéns a postura do Álvaro Dias.
    O homem público jamais pode partir para baixaria, jamais.
    Campanha feita com propostas e não promessas (por ex. falar que vai dar R$ 50,00 por bolsa família) é vexatório, humilhante para os pobres, que com pouco conhecimento votam num lambaio que faz esse tipo de coisa.
    É de dar nojo dos poderosos que perpetuam no poder, cd vez mais ricos, sempre, sempre humilhando o povo.
    Basta desses calhordas.
    Osmar governador

  • Tweets that mention Jota Agostinho » Arquivo do Blog » ÁLVARO NO SENADO: ” OSMAR É A MELHOR OPÇÃO PARA O PARANÁ “ -- Topsy.com Disse:

    […] This post was mentioned on Twitter by Yara Nogueira, Coala o bom, Joao Arco-Verde, Edson Rimonatto, Jota Agostinho and others. Jota Agostinho said: ÁLVARO NO SENADO: " OSMAR É A MELHOR OPÇÃO PARA O PARANÁ " – http://bit.ly/brjzB5 […]

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.