Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 16set

    FOLHA.COM

    Apesar do intenso noticiário das últimas semanas sobre a quebra dos sigilos fiscais de tucanos, a corrida presidencial entrou em fase de alta estabilidade nas taxas de intenção de voto dos principais candidatos.

    Dilma Rousseff (PT) venceria a disputa no primeiro turno se a eleição fosse hoje.

    Segundo pesquisa Datafolha nos dias 13 a 15 deste mês com 11.784 entrevistas em todo o país, a petista tem 51%.

    Oscilou um ponto percentual para cima em relação ao levantamento anterior, dos dias 8 e 9. A margem de erro máxima é de dois pontos, para mais ou para menos.

    Quando se consideram só os votos válidos, os dados apenas aos candidatos (excluindo-se os brancos e os nulos), Dilma vai a 57%.

    José Serra (PSDB) ficou exatamente como há uma semana, com 27%. Marina Silva (PV) também repetiu sua taxa de 11%.

    Em votos válidos, o tucano tem 30%. A verde fica com 12%. Há 4% que dizem votar em branco, nulo ou nenhum. Outros 7% se declaram indecisos.

    Os demais seis candidatos não pontuaram, segundo o Datafolha –que realizou a pesquisa sob encomenda da Folha e da Rede Globo.

    Na simulação de segundo turno, Dilma venceria com 57%, contra 35% de Serra. Os percentuais eram 56% e 35% há uma semana.

    Do ponto de vista geográfico, as únicas variações significativas e além da margem de erro ocorreram no Paraná, no Rio Grande do Sul, em Brasília e em Belo Horizonte.

    Dilma perdeu oito pontos em Curitiba (PR) e voltou a ficar atrás de Serra nessa capital. A petista tem 28%, contra 36% do tucano. No Paraná como um todo, ela recuou cinco pontos –mas ainda lidera por 41% a 35%.

    A petista também piorou seu desempenho em Brasília, saindo de 51% para 43%, mas continua líder porque Serra está com 21%.

    No Rio Grande do Sul e em Belo Horizonte ocorreu o inverso, com Dilma melhorando seu desempenho. Entre os gaúchos, a petista foi de 43% para 45%, e Serra desceu de 38% para 34%.

    Na capital mineira, a petista foi de 40% para 44%. Serra oscilou de 23% para 25%.

    A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o número 30014/2010

    Publicado por jagostinho @ 03:41



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

3 Respostas

WP_Cloudy
  • Pina Disse:

    Nesta pesquisa datafolha a candidata Dilma perdeu 8 pontos no estado do Paraná em 7 dias de espaço entre uma avaliação e outra perdeu 1 ponto por dia, será que reflete o resultado da candidatura de Beto Richa também reagindo e aumentando a distância ainda mais de Osmar, vamos ver os resultados que saem logo mais!!!!
    Beto Richa vai ser eleito o governador do Novo Paraná!
    Quem viver verá essa decisão do Povo do Paraná!!!!!!

  • Pereira Disse:

    Será que no resultado da pesquisa do Datafolha de hoje, o candidato Osmar não vai passar o Beto, daí a coisa vai estar preta novamente para Osmar, pois como não haverá o comício no sábado que o Lula cancelou, e esse escãndalo a nível nacional, não haverá tempo de reação, acho que as previsões de uns e outros falharam…..

  • Lia Disse:

    A demissão de Erenice Guerra da Casa Civil pegou a turma do senador Osmar Dias comemorando os 24 pontos de vantagem de Dilma Rousseff sobre José Serra, conforme revelou a pesquisa Datafolha de hoje. Do outro lado da trincheira os tucanos pinçaram dos mesmos números a informação de que Dilma perdeu 8 pontos em Curitiba e 5 pontos no Paraná nos últimos cinco dias provavelmente por causa da repercussão da quebra dos sigilos tucanos e do escândalo que envolveu Erenice Guerra. A campanha de Dias está fortemente atrelada ao governo Lula e, obviamente, a Dilma Rousseff. O que isso vai dar? As urnas dirão. Isso é campanha!

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.