Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 25ago

    ASSESSORIA DE OMPRENSA/EDUARDO MIRA

    O programa da Prefeitura de Curitiba de acompanhamento de gestantes,

    Eduarda e Franciele - mãe e filha

    parturientes e seus bebês é o mesmo “Nascer em Curitiba Vale a Vida”, lançado em 29 de março de 1993 pelo então prefeito Rafael Greca.

    À época, o secretário da Saúde era Armando Raggio. Em 1999, o prefeito que tinha Beto Richa como vice só fez trocar o nome para “Mãe Curitibana” por uma decisão de marketing.

    Quem apresenta documentos e testemunhos que atestam isso é o ex-prefeito Greca.

    Segundo ele, é um absurdo que um candidato a governador “minta e distorça essa história”.

    “Para ser governador do Paraná é preciso ter a grandeza da dimensão histórica e jamais faltar com a verdade. O que o Beto faz é produto de marketing de uma pessoa incapaz de assumir os destinos do nosso povo”, critica Greca, que é deputado estadual e concorre à reeleição pelo PMDB.

    Beto faz propaganda em sua campanha ao governo do Paraná dizendo que o programa “Mãe Curitibana” é criação do atual prefeito Luciano Ducci quando era secretário da Saúde de Curitiba em 99.

    Ducci só se tornou prefeito porque Beto renunciou ao mandato dois anos antes de completá-lo para tentar chegar ao governo. Ducci era o vice de Beto.

    O “Nascer em Curitiba” foi criado na gestão de Greca para preparar e acompanhar as mulheres na gestação e no pós-parto, incluindo cuidados com o recém-nascidos até os 5 anos de idade, lembra o ex-prefeito.

    Ele mostra, inclusive, uma carteirinha de cidadania e saúde das mães curitibanas e seus bebês com capa ilustrada por um desenho do artista plástico Poty Lazarotto.

    O desenho é o de uma gralha azul “cegonha”, que carrega no bico uma semente de pinhão, sugerindo um bebezinho.

    Mães que tiveram seus filhos no período do “Nascer em Curitiba Vale a Vida” e médicos que acompanharam o programa se disseram surpresos com as declarações de Beto.

    Franciele Gonzales, mãe de Eduarda Gabriela Martine, disse que o “Nascer em Curitiba” foi fundamental para sua filha, hoje uma menina saudável de 12 anos.

    Ela se disse indignada com as afirmações do tucano sobre a origem do programa.

    “O que Beto Richa está fazendo é um roubo. É o equivalente a roubar uma criança, trocar o nome dela e ainda por cima dizer que a filha é dele”, compara.

    A médica infectologista Ciane Mackert atendeu a centenas de pacientes com gravidez de alto risco, como soropositivas de HIV, encaminhadas ao Hospital de Clínicas da UFPR pelo programa.

    A médica é autora do livro “Deu positivo. E agora doutor?”, adotado por vários estados como referência em educação em Aids para leigos.

    Publicado por jagostinho @ 21:14



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Uma resposta

WP_Cloudy
  • Pina Disse:

    O sonho de Greca sempre foi ser mulher, agora “Mãe Curitibana” seria a Glória para o “rolha de poço”!
    Mas terá que fazer o exame de DNA no Programa do Ratinho no SBT!!!!!
    quá,quá,quá….

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.