Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 18ago

    ASSESSORIA DE IMPRENSA/EDUARDO MIRA

    A criação do órgão estadual foi uma das propostas apresentadas na Carta Aberta aos Candidatos ao Governo do Paraná, pelo Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência – Coede, entregue a Osmar Dias, da coligação A União Faz Um Novo Amanhã, nesta terça-feira (17), em Curitiba.

    “Aceito prontamente a criação da subsecretaria por ser uma maneira de unir a sociedade em torno do mesmo esforço. O que pensamos é criar uma Secretaria dos Direitos Humanos e ela pode abrigar várias subsecretarias que atendam os interesses das minorias”, disse Osmar.

    De acordo com a presidente do Coede, Angelina Matiskei, a carta a ser entregue a todos os candidatos ao governo iniciou por Osmar “por seu histórico político e seu envolvimento com as questões relacionadas à educação e aos direitos humanos. No Senado, Osmar presidiu as comissões de Educação e de Direitos Humanos.

    “No documento abordamos questões referentes a educação, saúde, acessibilidade, trabalho e transporte. Queremos a instalação de uma subsecretaria para que ela seja a ponte entre os deficientes e o governo”, justificou Angelina.

    As entidades também solicitaram que ações destinadas à qualificação profissional sejam potencializadas e acesso ao trabalho e ao emprego; cumprimento da legislação referente ao transporte escolar; coletivos urbanos e interestaduais adaptados; educação inclusiva; acessibilidade ao trabalho com adaptação dos prédios e mobiliários e acesso à comunicação e informação.

    Outra questão levantada pelos representantes foi a revisão da lei estadual que trata dos concursos públicos. De acordo com os dados do Coede, o índice de desemprego de pessoas com deficiência na iniciativa privada chega a 90% no Brasil, apesar da política de cotas feita pelo presidente Lula. Grande parte disso se deve à estagnação profissional, que começa pelo acesso à escola, profissionalização e local de trabalho.

    “Assim que eleito, vou me reunir com os conselhos para fazer um projeto de lei de autoria do executivo e me comprometo a apresentá-la na Assembléia Legislativa para as alterações necessárias”, disse Osmar.

    Educação Inclusiva: Também nesta terça, Maria Teresa Dias, esposa de Osmar, participou de um almoço com os professores e funcionários da educação especial e do Ensino de Jovens e Adultos (EJA), em Curitiba.

    Durante o encontro, os educadores defenderam a manutenção das políticas educacionais realizadas nos últimos anos pelo governo do Paraná. Como a permanência das escolas de educação especial para o atendimento dos alunos com deficiências graves de alta complexidade e os investimentos na educação de jovens e adultos.

    Maria Teresa afirmou que Osmar sempre foi sensível as questões referentes à educação e se dispôs a ser o elo entre os professores e o governo.

    “Osmar sempre acreditou no conceito de democracia. Que o Estado tem a obrigação de fornecer a opção da escola normal adequada e capacitada para receber esses alunos, e a escola especial com o mesmo ensino de qualidade, deixando para as famílias a decisão de onde seus filhos serão educados”, disse Maria Teresa.

    “Precisamos desse envolvimento e engajamento com o ensino especial e de jovens e adultos. Temos que considerar suas diferenças e apresentar material didático e profissionais capacitados para atender suas expectativas”, defendeu Walliana Takasaki, diretora geral do centro da Cidade Industrial.

    Publicado por jagostinho @ 08:19



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.