Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 17ago

    Agora que está no site do Datafolha, atrevo-me a fazer algumas considerações/indagações, em relação aos números apresentados em sua última pesquisa à sucessão estadual.

    Vou apegar-me, somente, à página 11 do relatório ( pesquisa espontânea), que está reproduzida abaixo:

    – Por que será que tem  três colunas no local NATUREZA DO MUNICÍPIO, ou seja:- Total Região Metropolitana (Capital+Outros da RM) – Capital (de novo !!!) e Interior?

    – Observe-se que Osmar Dias tem 12% na Capital + RM e 12 % na Capital. Isto significa que, por dedução, Osmar tem 0% na RM e 12% na capital. Só lembrando, a Região Metropolitana tem mais de 920 mil eleitores ! E ZERINHO para o Osmar, na espontânea? Espantoso !

    – Mais confusa fica a interpretação dos percentuais de Beto Richa. Se ele tem 46% só na Capital, como pode ter 40% , na Capital + RM ?  É para se deduzir, então, que Beto tem  – 6% na RM?  Sei lá! Deve ser ! Não tem outro jeito. Ou tem?  Como se faz para acertar este negócio? Na matemática não tem como !

    – Está certo que, históricamente, Lula não exerce a mesma influência, aqui no Paraná, como em outros estados. Mas será que não teve uma viva alma desavisada que, espontaneamente, tenha declarado na pesquisa, que votaria no Lula ou no candidato dele? Estranho. Muito estranho.

    – Na espontânea, os que não sabem ainda em quem votar, somam 55%. Bem, então tem indecisos de menos na RM e demais na Capital. Pois, Capital + RM somam 42% e só Capital, 37%. Na lógica, somos conduzidos a um resultado, no mínimo, surpreendente: 95% dos eleitores da Região Metropolitana já escolheram sua opção de voto ! Impressionante! !

    – E tem mais. Está na moda a tal da “BASE PONDERADA” acoplada aos “NÚMEROS ABSOLUTOS”. Numa linguagem popular, bem grosseira até, significa que se faz mais entrevistas, espreme-se e reduz-se para o número de entrevistas  que a região pesquisada comporta. No caso: Curitiba -17.14% / RM – 12.08% / Interior – 70.77%, do eleitorado paranaense.

    – Epa ! Algo não encaixa ! Olhando na tabela abaixo, vê-se o seguinte: Capital + RM, de 519, aproveitaram -se 355 entrevistas.  Na Capital, as 407 viraram 210 entrevistas. Mas como explicar o Interior?  702 entrevistas, num milagre da multiplicação, foram transformadas em 866 !! Total: 1.221 emtrevistas.

    – E uma última perguntinha: as 210 entrevistas da Capital estão incluídas nas 355 da Capital + RM ??  Ou são diferentes ? Que coisa, hein?

    – E foi só uma olhada, de leve,  numa da 26 páginas do relatório do Datafolha !!!


    Clique na imagem para ampliar

    Publicado por jagostinho @ 08:01



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

6 Respostas

WP_Cloudy
  • Alex Disse:

    Essas questões de pesquisas ao meu ver, são complicadas e claramente direcionadas. Este raciocínio vale também para as pesquisas nacionais. Se essas “falhas” acontecem nas pesquisas estaduais, imagina nas nacionais. Pesquisas tinham que ser proibidas.

  • Tweets that mention Jota Agostinho » Arquivo do Blog » DATAFOLHA – PERGUNTAS QUE NÃO QUEREM CALAR !!! -- Topsy.com Disse:

    […] This post was mentioned on Twitter by Silvio o bom, Rosa Maria Dolberti, Silvio o bom, Rosa Maria Dolberti, Silvio o bom and others. Silvio o bom said: DATAFOLHA – PERGUNTAS QUE NÃO QUEREM CALAR !!! – http://bit.ly/9HeuS4 repasem @andrevargas13 […]

  • Gilmar Disse:

    Mistérios do DataSerra (ou é BetoSerra?)!!!

  • Marcelo Tradzoki Disse:

    Eu tenho medo dessas pesquisas. E ninguém aparece para responder a dúvidas em geral, é simplesmente isso e acabou.
    O TSE não deveria estar de olho nessas pesquisas?

  • Rossby Disse:

    Oi Jota.

    Lendo o relatório da pesquisa Datafolha na página 10 é definida a estratificação por renda, partido de preferência e por natureza do município.
    Neste ítem vemos o seguinte: que o interior possui 71% do universo, a capital possui 17% e os municípios da RM posseum os demais 12%, fechando assim o total de 100%.
    Dessa forma, dos 29% que compreendem Capital e RM, 59% deste estrato pertencem a Capital e 41% são da RM.
    Então quando vc pergunta no final do post, se as 210 entrevistas da Capital estão estão incluídas na soma da Capital mais RM ou não, a resposta é SIM (59% de 355 entrevistas na base ponderada).
    Dessa forma, tanto a Capital como a RM são subconjuntos de Capital+RM com participações de 59% para Capital e 41% para RM.
    Isto posto remete-se às suas estranhezas em relação aos índices… não vejo como se somar simplesmente os índices como vc colocou e sim ter os índices na Capital, RM e a composição dos dois.
    Assim Beto com 46% na Capital com peso de 0.59 e com 40% na Capital+RM (total), significa que na RM com peso 0.41 ele teria aproximadamente 31% e não -6% como vc sugeriu.
    E Osmar com 12% na Capital com peso de 0.59 com 12% na Capital+RM (total), significa que na RM com peso 0.41 ele teria aproximadamente os mesmos 12% e não zero como vc sugeriu.
    Assim a diferença pró-Beto na RM é menor (31% a 12%) que na Capital (46% a 12%), como é de se esperar.
    Aqui vemos um cenário parecido com 2006, no caso de Osmar que é sua baixa penetração no eleitorado dessa parte do estado.
    Aplicando esse raciocínio ao ítem “Não sabe” temos 37% na Capital com peso 0.59 e com 42% na Capital+RM, significa que na RM com peso 0.41 “Não sabe” teria aproximadamente 49% (quase metade). Também como se espera.
    Abrindo um parenteses aqui, vemos que os “Não sabe” na espontânea indicam que há muitos votos ainda a serem conquistados, que serão o foco das campanhas à partir de agora, principalmente na TV e rádio.
    Quanto a diferença entre (Numeros absolutos: 519(aprox 43%)+702(aprox. 57%)= 1221″ e “Base Ponderada: 355 (aprox. 29%)+866(aprox. 71%)= 1221” que vc comentou, com Capital+RM com amostra superdimensionada e Interior com amostra subdimensionada isso não tenho resposta, contudo observando esse ítem em outros estados pesquisados, o Datafolha realiza esse ajuste nessas bases como faz em outras pesquisas. Eles que expliquem.
    Porém o que aparece neste ítem é que o interior ainda não definiu claramente qual é sua preferência (ao menos na espontânea) e é basicamente lá que as campanhas dos candidatos devem ter o foco principal neste momento.

  • Rossby Disse:

    Quanto a estranheza no caso dos ítens zerados de Lula, Candidato do Lula ou Candidato do PT, indicam que foram mencionados por entrevistados, porém atingiram menos de um por cento. Como os percentuais são truncados e não levam em conta as casas decimais, eles acabam tendo o índice zerado. Esta situação aparece em outras pesquisas estaduais (como SP, RJ, MG, RS) disponíveis nos respectivos relatórios das pesquisas do Datafolha.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.