Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 29jun

    Evandro Fadel, de O Estado de S. Paulo

    CURITIBA – Com voz abatida, demonstrando cansaço, o senador Osmar Dias

    Osmar:"estou preparado para ser governador"

    (PDT-PR) atendeu ao telefone por volta das 18 horas nesta segunda-feira, 28.

    Tinha passado boa parte do dia, assim como o fim de semana, em reuniões para definir o melhor caminho: concorrer ao governo em coligação com PMDB e PT ou partir para a reeleição.

    Veja também:

    PDT adia decisão sobre alianças no Paraná.

    Ele prefere o governo, mas aí seria o comandante do palanque de Dilma Rousseff (PT) no Estado. Entra em conflito com o pacto que tem com o irmão, senador Álvaro Dias (PSDB), de não haver disputa entre eles.

    Álvaro é cotado para vice de José Serra (PSDB). “Essa questão é forte para mim”, disse. Osmar aguardava reunião entre PSDB e DEM a ser realizada ontem à noite. “Tem que decidir. Estou desgastado demais com esse troço.”

    Qual a tendência, neste momento, sobre seu futuro político?

    Eu estou esperando a reunião do DEM, agora às 20 horas, com o PSDB, para definir o que fazer. Não quero antecipar nada.

    Essa definição sai quando?

    Eu acho que depois dessa reunião vou ter como definir.

    Pode-se esperar alguma coisa para terça?

    Tem que haver. Tem que decidir porque não se aguenta mais isso. Eu, principalmente, estou desgastado demais com esse troço.

    O senhor sentiu-se encurralado com a indicação do senador Álvaro Dias como vice na chapa do José Serra?

    Nós temos um pacto de não disputar um contra o outro. Acho que a população não entenderia isso. Agora, eu já vinha como candidato a governador, estava com a aliança pronta, para anunciar, quando surgiu isso. Eu não tinha conseguido uma aliança, de repente ela apareceu na segunda-feira em Brasília, na terça e quarta nós fechamos, na quinta veio a notícia e aí embaralhou tudo.

    Foi uma surpresa para o senhor?

    Não foi surpresa porque vinha sendo conversado há algum tempo. Isso é que estava retardando e as pessoas achavam que era indefinição minha, mas não era. Era uma preocupação de não ficar em uma situação desagradável, como neste momento. Está muito difícil para mim.

    No caso de o senhor ser candidato à reeleição, seria independente ou em coligação com o PMDB?

    É cedo, eu vou esperar a reunião.

    E em relação à disputa nacional? A amizade com o Serra pesa?

    O meu partido tem uma posição e não abre mão dessa posição. Sou amigo do Serra, mas tenho que seguir a orientação do meu partido.

    O senhor acha que o eleitorado vai entender que, como o senhor diz, não há uma indecisão, mas a conjuntura é que tem levado a essa indefinição?

    Pouca gente entende, eu estou em uma situação bastante complicada, num dilema pessoal, essa questão familiar é forte para mim, sempre foi. Principalmente do jeito que o Álvaro colocou na imprensa aqui, que a minha candidatura seria contrária aos interesses do Paraná em função da postulação dele. Isso seria muito explorado.

    O senhor não tem o mesmo entendimento de que a sua candidatura seria contrária aos interesses do Estado?

    Não. Estou preparado para ser governador. Eu me preparei, estudei o Estado, estou com projeto pronto. Mas tem que analisar essa situação nova, ela realmente é complicadora.

    Publicado por jagostinho @ 02:23



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

10 Respostas

WP_Cloudy
  • Jayr Aleluia dos Santos Disse:

    JOGUINHO BOBO ESSE DO OSMAR. DEXA DE SER FROXO UMA VEZ NA VIDA CARA!!! ESTÃO TE DANDO DE BANDEJA O GOVERNO DO PARANÁ E VC FICA FAZENDO CU DOCE, PORRA!

  • Martelão Disse:

    CONCORDO ESTÁ DEGASTADO MESMO. MAS O MEU SACO TB JÁ ESTÁ CHEIO COM ESSA PALHAÇADA DOS IRMÃOS DESCORAGEM DIAS. DA-LHE BETO. ACABA TUDO NO PRIMEIRO TURNO. E SERRA VAI PERDER PRA DILMA PQ NINGUEM GOSTA DO ALVARO. PINTA MUITO MANJADA.JÁ DEVIA ESTAR NUM ASILO. JÁ DEU OQ TINHA QUE DAR. SAI DE FININHO CARA!

  • Ultra Disse:

    Muita palhaçada. O Osmar acha que o povo n está vendo que é tudo combinado com o irmão. Se for para o senado sozinho não se elege.

  • Luisão da Vila Disse:

    Esses dois irmãos tem que ser jogados pela janela da política paranaense. Vamos mudar. Tudo raposa felpuda. Malandro agulhas.

  • maneco marreco Disse:

    Está Álvaro deve ser irmão de criação do osmar pra fazer tanta sacanagem com ele. PQP

  • Clovis Pena - O preço ! Disse:

    Osmar expica e a gente entende, mas não dá para aceitar o absolutismo vaidoso. Depois de estar com toda a aliança pronta para sua campanha, Osmar deveria ser mais que respeitado. Deveria ter todo o apoio. Ou isto vale só para um lado ?

  • Clovis Pena - O preço ! Disse:

    Perdão, estou corrigindo:

    Osmar explica e a gente entende, mas não dá para aceitar o absolutismo vaidoso. Depois de estar com toda a aliança pronta para sua campanha, Osmar deveria ser mais que respeitado. Deveria ter todo o apoio. Ou isto vale só para um lado ?

  • Tweets that mention http://208.113.167.84/?p=18890utm_sourcepingback -- Topsy.com Disse:

    […] This post was mentioned on Twitter by . said: […]

  • Homero Pavan Filho Disse:

    Dessa entrevista depreende-se que o Osmar Dias não tem assessoria e, portanto, não estaria preparado para ser o governador dos paranaenses.
    “Isso seria muito explorado”. Pode ser. Mais explorado ainda será o fato de que é o Álvaro que manda no Osmar, ou não?

  • Teo Disse:

    A situação já está definida e certa, Osmar sairá candidato a reeleição ao Senado, àlvaro será candidato a vice na chapa de José Serra, e Beto já definiu também que seu vice será o Senador Flávio Arns. Quem duvidar aguarde até amanhã e terá a confirmação que já cansei de falar e repetir!!!!!

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.