Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 03jun

    Pela ordem da foto, da esquerda para a direita: Eduardo Slaviero Pimentel (PSDB), neto do ex-governador Paulo Pimentel; Evandro Júnior (PSDB), neto do presidente do Tribunal de Contas e ex-deputado Hermas Brandão; Bernardo Ribas Carli (PSDB), filho do prefeito de Guarapuava, Fernando Ribas Carli e irmão do ex-deputado Carli Filho; Pedro Lupion (DEM), filho do deputado federal Abelardo Lupion; Anibelli Neto (PMDB), filho do deputado Antonio Anibelli Filho e Paulo Rosenmann (PSDB), filho do ex-deputado Max Rosenmann.

    São algumas das novas “carinhas” que prometem despontar no cenário político do Paraná. Todos eles com um “gordo” colégio eleitoral disponível, baseados principalmente na tradição familiar política.

    O sonho dos “caudilhos” é vê-los iniciando uma carreira pelos parlamentos e quem sabe, futuramente, disputado cargos executivos. O PSDB é o principal ninho dessa nova geração, que conta ainda com notáveis dentro do DEM e PMDB.

    É uma espécie de “nepotismo” das urnas, onde o poder é passado de “pai para filho” ou de “avô para neto”.

    Algumas dessas novas lideranças já despontam como ativistas partidários, fazendo parte do Diretório municipal ou estadual. Boa parte herda até o nome de família para tornar mais fácil o esforço de marketing político, como é o caso de Pimentel, Anibelli, Rosenmann, Lupion, ou de certa forma, o prestígio e o “agasalho” da velha águia nos comícios e aparições políticas.

    É um salto de inexperientes políticos que não passam nem pelo crivo regional na busca de uma vaga na Câmara de Vereadores, mas que se lançam a vôos mais altos, aspirando na primeira vez um cargo na Assembleia Legislativa. Para eles é fácil começar com contagens magistrais de 20 a 30 mil votos para a arrancada.

    Tanto é assim que já se lançam em partidos onde o índice de votos para se eleger é altíssimo. Lupion fez 122 mil votos para federal; Rosenmann chegou aos 116 mil; Anibelli Filho 65 mil para estadual; Hermas Brandão sempre foi campeoníssimo e Carli Filho chegou aos 46 mil.

    Basta que o eleitor seja um pouco esquecido para cravar o nome ou o sobrenome consagrado em eleições anteriores. É lançar o nome e correr para a comemoração. E depois só esperar para ver o que acontece num mandato de quatro anos.

    Exemplos antigos são muitos: Beto Richa, Gustavo Freut, Plauto Miró Guimarães Filho, Fernando Carli Filho, Stephanes Júnior, Alexandre Curi, Artagão Júnior e tantos outros.

    DO BLOG DO OSNI GOMES

    Publicado por jagostinho @ 17:28



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

12 Respostas

WP_Cloudy
  • Severino Disse:

    Muito boa a matéria. O nepotismo de uma outra forma. E o povo continua sendo enganado.

  • Henrique Favoro Disse:

    Parabens ao atento jornalista Osni Gomes. Muita gente nem percebe estas coisas. E vc Jota fez bem em por no seu Blog. Caras bons tem que trocar figurinhas. Valeu!!

  • Tweets that mention 0 "NEPOTISMO" NAS URNAS -- Topsy.com Disse:

    […] This post was mentioned on Twitter by Giordano Pedro, Jota Agostinho. Jota Agostinho said: : 0 "NEPOTISMO" NAS URNAS http://bit.ly/d9yMxt […]

  • Desirê Disse:

    Vergonha… só isso a se dizer…

  • Jorge Disse:

    Bem lembrado, Jota Agostinho.

    Ressalte-se que esses “candidatos juniores” têm todo o direito de concorrer aos cargos eletivos.

    A população é que precisa adquirir discernimento e não prestigiar as velhas oligarquias políticas que dominam a nossa província desde 1853.

    Ao votar nesses “jovens” mal sabe o eleitor distraído que está é votando em velhos esquemas políticos, que nos sugam as riquezas desde épocas sesquicentenárias.

    O episódio Justus-Curi da AL bem demonstra como são formados os patrimônios de muitas das tradicionais famílias paranaenses.

    Em tempo: parabéns pelo seu blog! É de longe o melhor e o mais lúcido! Leitura obrigatória.

  • Ana Disse:

    Jota,

    acho que as aspas não deveriam estar no “carinhas”, mas sim no “novas”.
    é uma palhaçada tal “renovação”

  • Rafael Machado Disse:

    Faltou o nome do João Arruda nessa lista de nepotismo.

  • EU SOU A MOSCA Disse:

    O que se salva um pouco dos nomes citados no final , talvez seja o Gustavo . Como o povo quer que seus representantes façam suas vidas melhorarem ? Votando em pessoas que aprendem dentro de casa a ignorá-lo ? Esses caras querem o Poder apenas para continuarem com a influência necessária para manter suas vidinhas !

  • Antunes Disse:

    Não podemos eleger mais um da família Carli. Eleger o irmão do assassino é passar atestado de imbecilidade.

  • SYLVIO SEBASTIANI Disse:

    Não sou contra o nepotismo na politica procurando através do voto o caminho do pai, ou qualquer parente e usar o sobrenome dele.Agora, os eleitores e elitoras tem que verificar qual o caminho que o pai traçou na vida pública. Um bom exemplo tem agora, com a atual Assembléia Legislativa do Paraná e o Tribunal de Contas do Estado, pois estes são excelentes cabos eleitorais, pois tem os 399 Prefeito do Paraná às suas ordens, pois estes são fiscalizados pelo TC e são obidientes aos membros do TC.

  • fora cambada Disse:

    Esqueceu do Hermas Brandão Junior?

  • fora cambada Disse:

    O homem já quer pôr filho e neto de uma vez só!!!!!!!!!!!

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.