Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 02jun

    PARANÁ ONLINE/FLÁVIO LAGINSKI

    Linha Verde-tráfego intenso e conturbado/foto-Ciciro Back

    Obra nova, reclamação antiga. Quem precisa circular pela Linha Verde, em Curitiba, em horário de pico, precisa de uma boa dose de paciência.

    Segundo relatos de quem passa com frequência pelo local, são comuns os congestionamentos ao longo da via, principalmente na altura do viaduto do Hauer e nas proximidades do bairro Capão da Imbuia.

    Trajetos que levariam pouco tempo para serem percorridos estão tomando bastante tempo das pessoas.

    O técnico em qualidade Admilson Jacomitti é um dos cidadãos que precisatrafegar pela Linha Verde.

    Morador do município de Pinhais, na região metropolitana, Jacomitti conta que para chegar até o seu trabalho, na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), perde, em média, cerca de 2h10 todos os dias.

    “Para mim, é um suplício ter que pegar a Linha Verde. Ela fica ainda pior quando há algum acidente ou um automóvel quebrado no local. Falaram que essa obra iria melhorar a vida das pessoas, que ficaria mais fácil de circular pelo local.

    Mas sinceramente, no tempo da BR-116 (onde hoje está a Linha Verde) eu perdia muito menos tempo para ir até o trabalho e para chegar à minha residência”, revela.

    Ele diz ainda que por conta dos constantes congestionamentos já aconteceu de perder algum compromisso.

    “Já sofri diversos transtornos por causa do trânsito da região. Já perdi aulas de cursos que eu faço, cheguei atrasado para algum compromisso e, algumas vezes, fui obrigado a cancelar o que tinha agendado porque não teria tempo suficiente de estar no local”, salienta.

    O vendedor Valdenes Rocha reclama que algumas ruas próximas da Linha Verde também estão intransitáveis. “A Rua João Soares Barcelos fica impossível de utilizar na hora do rush. Admito que a obra melhorou o fluxo da região, mas os congestionamentos não acabaram. Faltam mais trincheiras no local e os semáforos poderiam ser sequenciais”, opina.

    Para o comerciante Adevilson Bigoto, em certas ocasiões em que há a necessidade de transitar pela Linha Verde, ele diz que é melhor combinar um compromisso para mais tarde para não pegar o trânsito pesado.

    “Quando preciso ir até algum lugar na hora de pico e sou obrigado a pegar a Linha Verde, já aviso que só vou sair depois das 19h30, pois se sair neste horário, entre 16h30 até 19h, é dor de cabeça na certa. Vejo muita gente reclamando que passam muito tempo na Linha Verde”, afirma.

    A assessoria de imprensa da Urbanização de Curitiba S/A (Urbs), autarquia da prefeitura de Curitiba responsável pelo trânsito, informa que um binário e a revitalização do terminal do Capão da Imbuia serão construídos em breve.

    As obras devem melhorar o trânsito na região. Futuramente, a Avenida Marechal Floriano, em direção ao Boqueirão, passará por reformas que devem ajudar na fluidez do tráfego.



    Publicado por jagostinho @ 14:32



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

2 Respostas

WP_Cloudy

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.