Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 24dez

    PORTAL RPC

    Papai Noel em Matinhos não chega de trenó puxado por renas. É de prancha de surfe, como

    Rogério - 1.300 brinquedos

    Rogério - 1.300 brinquedos

    convém a uma cidade litorânea.

    O Papai Noel surfista Rogério Szkilmyj, 27 anos, o Gordaines, estará mais gordo na véspera deste Natal, quando entregar seus presentes para as crianças na região do Rio das Onças, Sertãozinho e Tabuleiro, comunidades carentes da cidade.

    Porém, não é tanto a barriga de Rogério que aumentou (o apelido Gordaines vem do fato de ele ter sido gordinho quando criança) e sim o número de presentes.

    Se havia 300 brinquedos em sua sacola no ano passado,quando estreou como Papai Noel radical, este ano haverá 1,3 mil brinquedos e mais 2,5 mil guloseimas.

    A evolução foi graças a um planejamento maior, que começou há mais de cinco meses. “Ano passado, quando eu e meus amigos decidimos distribuir presentes, organizamos tudo na última hora, e por isso só deu para arrecadar R$ 300”, diz.

    “Dessa vez, fui pedindo contribuições para as pessoas ao longo do ano e assim levantamos R$ 3 mil.”

    Campeão de longboard (surf com pranchões), escrivão de cartório e turismólogo formado, Rogério Gordaines decidiu encarnar também o papel de bom velhinho inspirado no pai, Eugênio Wolodymyr Szkilmyj, que sempre ajudou os necessitados.

    “Meu pai era motorista. Duas vezes por semana ele recolhia restos de frutas e verduras das feiras. Depois lavava, selecionava os alimentos e saia distribuindo de Kombi em comunidades carentes”, conta Rogério, que desde pequeno acompanhava o pai nessas ações.

    “Tanto que, na hora de escolher os lugares em que íamos entregar os presentes, escolhi as mesmas regiões que eu visitava com o meu pai no passado.

    Gordaines chega nas comunidades em um carro com pranchões de surf no rack. Então bate de porta em porta nas casas ou organiza filas para entregar os presentes.

    Na entrega, o surfista conta com o auxílio de amigos que fazem as vezes de ajudantes de Papai Noel. Em especial, o brother Jéferson Serafim, que também encarna o bom velhinho, dividindo o trabalho.

    Publicado por jagostinho @ 16:30



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Uma resposta

WP_Cloudy
  • rogerinho Disse:

    Papai Noel tem que se adaptar mesmo. O mais importante é alegrar a vida de nossas crianças.

    Bela iniciativa.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.