Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 15nov

    Todos os anos, em 15 de Novembro, realiza-se na histórica cidade de Paranaguá, litoral do Paraná,  a

    Santuário em Paranaguá

    Santuário em Paranaguá

    Festa de Nossa Senhora do Rocio, Padroeira do Estado.

    O dia da Festa, 15 de Novembro, é marcado por inúmeras celebrações para as quais acorrem milhares de fiéis romeiros de varias cidades do Paraná, além da incontável presença de devotos da Diocese de Paranaguá, onde se localiza o Santuário da Padroeira.

    “A devoção a Nossa Senhora do Rocio tem raízes profundas na vida do povo do litoral do Paraná, pois data dos meados do século XVII, pouco tempo após a elevação de Paranaguá à Vila, em 1648″(Pe. Karl Eugene Esker, Jornal “Voz Vicentina do Paraná”).

    Segundo nos relata o historiador paranaense Vieira dos Santos, já em 1686 os habitantes da então Vila de Paranaguá “haviam recorrido aos favores da Virgem do Rocio para que os livrasse da terrível peste que assolava o litoral, nessa época”.

    Antes dessa data, sabemos somente que um pescador chamado Pai Berê achou a imagem que é de Nossa Senhora do Rosário, em estilo barroco. Uma lenda diz que ele retirou a imagem da margem da baía na rede, enquanto pescava.

    Outra diz que a encontrou num campo de rosas loucas, no barranco à beira da baía. Por um tempo ficou num oratório na casa de Pai Berê , onde se tornou objeto da devoção dos pescadores, sendo batizada com o nome de Nossa Senhora do Rocio.

    “O culto à imagem se difundiu, aumentando a fé e a esperança em Nossa Senhora do Rosário do Rocio, atraindo devotos não somente das redondezas, mas também da Vila” (Waldomiro Ferreira de Freitas, Aspecto Histórico e Turístico de Paranaguá).

    MILAGRES ATRIBUÍDOS A NOSSA SENHORA DO ROCIO
    Através dos anos, a devoção cresceu até o milagre que deu fim a peste, em 1686, milagre que se repetiu ao longo dos séculos em inúmeras ocasiões em que a Santa do Rocio atendeu aos seus devotos com curas individuais e coletivas, como nos casos da Peste Bubônica, em 1901 e da Gripe espanhola, em 1918.

    Há ainda inúmeros registros do socorro da Virgem do Rocio prestado aos marinheiros em violentas tempestades e tragédias no mar, os quais se tornaram seus devotos e a homenagearam com procissões e comoventes romarias pelas ruas da cidade, rumo ao Santuário.

    É o caso do navio “Raul Soares”, no dia 26 de junho de 1931; do navio “Philadélphia”, em julho de 1931; e do navio “Maria M”, no dia 08 de agosto de 1932.

    O TITULO DE PADROEIRA DO PARANÁ
    Além desses, contam-se, muitos outros milagres ocorridos em cidades do Paraná sob sua intercessão, razão pela qual, em 1939, Nossa Senhora do Rocio foi declarada Padroeira do Paraná pelos Bispos do Estado e, finalmente, após anos de esforço civil e eclesiástico, a Santa Sé a declarou, em 1977, Padroeira do Paraná, indicando a Igreja do Rocio em Paranaguá como seu Santuário Estadual.

    O título de Rocio, que na linguagem antiga significa “orvalho”, simboliza as constantes e ininterruptas bênçãos e favores que o povo paranaense recebe continuamente da Virgem Mãe, mediadora de todas as graças concedidas a seus amados filhos, os quais, por gerações e gerações, veneram sua Santa Padroeira as margens da baía de Paranaguá sob o titulo de Senhora do Rocio.

    Publicado por jagostinho @ 14:59



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

2 Respostas

WP_Cloudy

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.