Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 29set

    cueca

    Um País que se preza não pode ter  algo tão confuso e bizarro como é a nossa legislação eleitoral. Se é que se pode chamar isso de legislação. Afinal, o Brasil sempre teve notáveis juristas que, infelizmente, não foram ouvidos quando da montagem do nosso arcabouço jurídico-político.

    Hoje vivemos de remendos, dos remendos. Uma vergonha. Nada tem a ver com a política. É uma inversão de conceitos, inacreditável. Causuísmos imperam. Políticos decidindo em causa própria. Isso vai criando um pano de fundo que desencoraja os honestos e competentes em ter uma atitude política mais engajada.

    Politicamente, o Brasil , ainda, não resolveu questões fundamentais. Somos uma república que não é republicana. O conceito de país, de nação não existe. O que vale para o País, muitas vezes, não vale para os Estados.

    Democracia, governo do povo, não permite que nomes, lideranças, sejam maiores que partidos políticos. É básico para sustentação e consolidação de um regime livre. Nossa legislação eleitoral é um convite para o aparecimento de caudilhos, caciques e coronéis.

    Criam-se partidos como se levanta uma choupana. Oportunistas e políticos profissionais espalham-se aos montes.  Aqueles de Brasília precisam dos outros, nos rincões daí aumenta-se o número de vereadores, num passe de mágica, e com efeito retroativo. Lindo, não ?

    Muda-se de partido como de cueca. E já foi pior, imaginem !  Nos legislativos, vota-se por convicção ou interesse pessoal e não pelo que reza a cartilha de cada partido. Vamos chegar aonde com isso?

    Nesse Brasil varonil,  um candidato a governador, pode discursar em dois palanques da disputa presidencial. As coligações nacionais não valem regionalmente. Um mix estravagante.

    E pretendemos ser de primeiro mundo. Para entrar nessa lista, não passaremos na primeira prova que exige lições básicas de patriotismo e bom comportamento, ético, principalmente, da classe política.

    Tudo que relatamos aqui, pode ser resumido numa situação real. No Brasil, já tivemos, ou temos, nem sei mais, prefeito administrando de dentro de uma cela, na cadeia. Ou candidato, sendo votado, mesmo estando numa penitenciária. E pior. Sendo eleito.

    Precisa falar mais alguma coisa?

    Publicado por jagostinho @ 09:34



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

2 Respostas

WP_Cloudy
  • nascimento Disse:

    Isso sem falar no voto facultativo, distrital e tantas outras coisas. Mas os caras só pensam nos interesses deles. Uma vergonha mesmo!

  • valdemar Disse:

    depois querem que o eleitor não fike confuso, Só no Brasil mesmo !

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.